Eleições 2020: candidatos à Prefeitura de Juiz de Fora começam a definir apoios para o 2º turno


Fernando Eliotério (PCdoB) e Lorene Figueiredo (PSOL) já confirmaram apoio à Margarida Salomão (PT), que enfrenta Wilson Rezato (PSB) no dia 29 novembro. O G1 procurou todos os postulantes. Margarida e Wilson Juiz de Fora
Arte/G1
Os candidatos à Prefeitura de Juiz de Fora que não chegaram ao 2º turno das eleições 2020 começaram, nesta semana, a definir quem apoiarão na reta final do pleito, que ocorre no dia 29 de novembro entre Margarida Salomão (PT) e Wilson Rezato (PSB).
Ao fim da apuração, segundo dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Margarida teve 102.489 votos (39,46%), ante 59.633 votos para Wilson, que representa 22,9%.
Veja mais: Margarida Salomão, do PT, e Wilson Rezato, do PSB, vão disputar o 2° turno em Juiz de Fora
Eleições 2020: Margarida Salomão e Wilson Rezato falam sobre expectativas para o 2º turno em Juiz de Fora
O G1 entrou em contato com todos os postulantes para saber o posicionamento. Até a manhã desta quinta-feira (19), apenas os candidatos Fernando Eliotério (PCdoB) e Lorene Figueiredo (PSOL) confirmaram que vão apoiar candidatura de Margarida para o segundo turno.
Fernando Eliotério (PCdoB) e Margarida Salomão (PT)
TV Integração/Reprodução
Já Ione (Republicanos), Victória Mello Vic (PSTU) e Aloizio Penido (PTC) informaram à reportagem que tem reuniões ao longo desta semana para definir um possível apoio à candidatura ou projeto.
O candidato Eduardo Lucas (DC) confirmou que o partido não irá apoiar ninguém neste segundo turno. A candidata Delegada Sheila (PSL) informou que seguirá o posicionamento da direção estadual do partido. A reportagem procurou o presidente do PSL Minas, Charlles Evangelista, mas não obteve retorno até a última atualização desta matéria.
Os postulantes General Marco Felício (PRTB) e Marcos Ribeiro (REDE) não responderam ao G1 até a última atualização desta reportagem.
Lorene Figueiredo (PSOL) e Margarida Salomão (PT)
Instagram/Reprodução
Veja o posicionamento dos candidatos à Prefeitura de Juiz de Fora
Aloizio Penido (PTC)
Em nota ao G1, o candidato informou que está em conversa com a equipe para definição de um eventual apoio no 2º turno. Veja íntegra.
“As eleições disseram muito do eleitor mais do que dos candidatos. Juiz de Fora tem padecido pela falta de um gestor a frente do executivo. Acredito que o trabalho feito por mim e minha equipe já nos dignifica. Porque fizemos uma campanha sem alianças e sem fundo eleitoral, mas com muito apoio das pessoas que acreditaram no projeto de mudança da cidade e é por está razão que agradeço a todos que depositaram confiança em mim com o seu voto.
Quanto ao apoio aos candidatos que foram para o segundo turno estou em conversa com minha equipe para definir a direção que vamos seguir.
Espero que a população de Juiz de Fora escolha o que for o melhor para liderar a nossa cidade.”
Delegada Sheila (PSL)
No Instagram, a candidata se posicionou sobre o resultado do 1º turno e não mencionou apoio a nenhum candidato. Veja íntegra.
“Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” Rm 8:28
Infelizmente, não foi possível chegar ao segundo turno. Mas se tem uma palavra que define este momento é GRATIDÃO. A Deus e a vocês, que me deram mais esse voto de confiança.
Eu agradeço demais a todas as pessoas que votaram em mim e que disseram sim pra Juiz de Fora. Eu realmente não tenho palavras para tamanho carinho, cuidado, orações e reconhecimento.
Não foi uma campanha fácil, senti na pele o poder das mentiras, dos boatos infundados e da tentativa de destruição de reputação. Mas sigo firme, convicta da minha capacidade e certa de que apresentamos o melhor plano pra nossa cidade.
Meu trabalho na Assembleia de Minas continua. Volto à ALMG de cabeça erguida. Seguirei trabalhando firme. E ajudando nossa cidade. Certamente ela irá precisar mais do que nunca a partir de 2021.
Parabenizo as candidaturas que agora disputam o segundo turno, torço e oro para que nossa cidade saiba analisar e avaliar as propostas. Que dia 29 de novembro Juiz de Fora faça uma boa escolha e eleja a pessoa mais capacitada pra o cargo.
Trabalho, respeito e coragem, esse é o meu sim pra Juiz de Fora.”
Eduardo Lucas (DC)
Ao G1, o candidato enviou uma nota do Democracia Cristã (DC) e afirmou que não irá apoiar nenhuma candidatura. Veja íntegra.
“A candidatura de Eduardo Lucas (DC) fez uma avaliação do pleito. Para o partido Democracia Cristã, que recebeu 4.048 votos, a mensagem da campanha não conseguiu atingir a todos os cidadãos juiz-foranos. ‘A mensagem científica, técnica e administrativa de uma nova política, dentro de um partido sem recursos, sem tempo de televisão e sem fundo eleitoral não foi captada”, é o balanço feito pelo vice-presidente da legenda, João Carlos de Souza Lima Figueiredo.
Quanto ao apoio às candidaturas que alcançaram o segundo turno, o vice- presidente do DC ressaltou que o partido não pode apoiar a nenhuma delas, porque ambas ‘não teriam o compromisso de restaurar a cidade cientificamente, não compartilham nossa visão conservadora e de família, de estado necessário, nem mínimo, nem máximo e nem a defesa da liberdade econômica e da defesa do livre-arbítrio e da liberdade de expressão’, pontua João Carlos. O partido deixa aberto para que os eleitores decidam em qual candidato eles devem votar. ‘Nós apoiamos o eleitor, para que ele saia de casa, saia da abstenção e escolha o melhor para JF e carregue a responsabilidade por essa escolha.”
Fernando Eliotério (PCdoB)
O PCdoB de Juiz de Fora confirmou o apoio à candidata Margarida Salomão (PT) através de nota. Veja íntegra.
“Manifestação Pública do PCdoB de Juiz de Fora referente ao 2° turno
O processo eleitoral que se encerrou no primeiro turno trouxe enormes desafios e proporcionou significativa experiência para as candidaturas do Partido Comunista do Brasil — PCdoB. Foi a primeira vez que tivemos candidatura para prefeito e vice-prefeito em Juiz de Fora e elaboramos um programa de governo que de fato tivesse o olhar que defendemos para a cidade.
Ao analisar o processo eleitoral de segundo turno, não resta dúvida de que estamos diante de dois projetos antagônicos. Assim, visando a transformação do que tem sido o quadro nacional do país, definimos o apoio ao projeto que mais se aproxima daquele apresentado por nós para Juiz de Fora.
O PCdoB, como sempre, toma partido pela opção que melhor representa os anseios da classe trabalhadora, das lutas feministas, dos movimentos de sociais e daqueles que resistem e lutam contra o fascismo, o racismo, o preconceito, as desigualdades e as injustiças sociais. Portanto, após deliberação da direção, manifestamos o apoio à candidata Margarida Salomão e a participação na luta por sua eleição.”
General Marco Felício (PRTB)
O candidato não se manifestou nas redes sociais e não enviou posicionamento ao G1.
Ione (Republicanos)
A candidata publicou um vídeo no Instagram onde confirmou que está em conversa com os candidatos Margarida Salomão (PT) e Wilson Rezato (PSB) para definição de apoio. Veja íntegra.
“Olá pessoal,
Considerado os 56.699 votos que recebi e à pedido de muitas das pessoas que me apoiaram, pretendo em breve manifestar minha posição quanto ao segundo turno das eleições de Juiz de Fora.
Antes porém de manifestar minha posição, pretendo receber e ouvir, aqui no meu comitê, os dois candidatos, a fim de ouvi-los em um diálogo franco, aberto e democrático.
Na data de hoje, 17 de novembro, receberei a candidata Margarida Salomão. E depois de ouvir os dois candidatos, eu e meu grupo nos reuniremos para pensar qual a melhor posição a ser tomada para contribuir para um futuro melhor para Juiz de Fora.”
Lorene Figueiredo (PSOL)
A candidata publicou no Instagram a confirmação do apoio do PSOL de Juiz de Fora à candidatura de Margarida Salomão (PT). Veja íntegra.
“O Sol vai brilhar mais uma vez para fazer florescer o amanhã
Viver é tomar partido! Nós do PSOL fizemos uma campanha marcada pelo resgate da esperança, da auto-organização dos lutadores e no combate à extrema direita.
Construímos um programa para a cidade com o apoio de centenas de mãos, afirmando os direitos fundamentais, a proteção social, o combate à desigualdade, às opressões e defendendo o direito à vida. Ampliamos a interlocução política do partido com a cidade e elegemos nossa primeira vereadora. Agradecemos a todas e todos que apoiaram nosso projeto depositando seu voto nas urnas!
Contudo, nossa tarefa ainda não acabou. No segundo turno, ainda há a presença do projeto da extrema direita trazido pelo empresário Rezato, o milionário empreiteiro.
Na defesa da vida e da cidade, preservando a independência política e autonomia do PSOL, apoiaremos a candidatura da professora Margarida Salomão pelo PT e chamamos a todas e todos que, como nós, trabalham, lutam e sonham, a fim de travarmos mais essa importante batalha. No compasso desse diálogo, realizamos uma reunião com a candidata e apresentamos pontos de nosso programa que são indispensáveis para a cidade. As pautas de defesa da democracia, da justiça social, de valorização dos serviços públicos de educação e saúde, da cultura local e popular, o combate às opressões e o respeito aos movimentos da classe trabalhadora, temas caros a nós, foram acolhidos pela candidata.
É preciso tomar partido. A neutralidade é o peso morto da história. Somos aqueles e aquelas que tomam o curso de sua própria história nas mãos. Amar e mudar as coisas nos interessa mais! Afinal, ‘Tudo é para Todos’ é muito melhor do que ‘Fiquemos com o que Temos’.”
Marcos Ribeiro (REDE)
O candidato não se manifestou nas redes sociais e não enviou posicionamento ao G1.
Victória Mello Vic (PSTU)
O PSTU de Juiz de Fora enviou nota à reportagem e informou que tem reuniões nesta semana para definição do posicionamento do partido. Veja íntegra.
“Nas eleições burguesas, o poder econômico e a desigualdade na divulgação do programa definem a maior parte dos resultados. Em nossa cidade, ficou claro que velhos ‘caciques’ políticos estão ultrapassados e que a ultradireita, representada nacionalmente por Bolsonaro, não rem respaldo da população e foi a grande derrotada.
Porém, se mantém o mesmo projeto de governar com (e para) os grandes empresários e comerciantes, mantendo seus privilégios, apesar das retóricas populistas apresentadas pelas duas candidaturas mais votadas. Para a classe trabalhadora, sempre as migalhas do que sobrar após a distribuição da maior parte do orçamento, que é o fruto da riqueza produzida por ela.
O PSTU/JF vai se reunir e debater sua posição para o segundo turno, mas, durante a campanha, deixamos bem claro que somos contra todo e qualquer privilégio para a burguesia e políticos, e defendemos que a classe trabalhadora se organize e governe a cidade.”
Initial plugin text
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.