Eleições 2020: plano de governo dos candidatos a prefeito de Porto Alegre


Entre as propostas apresentadas estão planejamentos para as áreas da saúde, educação, segurança pública e assistência social. Eleições municipais ocorrem em novembro
Heloise Hamada/G1
O G1 resume os principais pontos das propostas de governo dos candidatos à Prefeitura de Porto Alegre nas eleições de 2020. Veja abaixo (os nomes estão em ordem alfabética):
Fernanda Melchionna (PSOL)
Fernanda Melchionna
Najara Araujo/Câmara dos Deputados
Número de páginas: 133
Resumo: O plano de governo de Fernanda Melchionna (PSOL) é dividido em 20 capítulos, que abordam temas como cultura, segurança, transporte público, assistência social, entre outros. Uma das propostas da candidata é consultar a população sobre as principais decisões que afetam a cidade, especialmente obras de valor elevado e de significativo impacto social e ambiental.
No documento, a candidata diz que, caso seja eleita, vai implementar medidas concretas contra a crise que se aprofundou com a pandemia de coronavírus. Outra proposta é ampliar o alcance do Orçamento Participativo para que a população discuta o conjunto do orçamento, a política fiscal e tributária.
O plano de governo também cita propostas sobre a segurança pública, como: comunicação e integração da Guarda Municipal com a comunidade, apoio científico à prevenção da criminalidade, instalação de alarmes comunitários, e criação de uma rede de comunicação via aplicativo de celular que conecte a comunidade à Guarda Municipal.
(Veja o plano completo de Fernanda Melchionna aqui)
Gustavo Paim (PP)
Gustavo Paim, do PP
Reprodução/RBS TV
Número de páginas: 34
Resumo: O candidato Gustavo Paim (PP) dividiu o plano de governo em 11 assuntos. Entre eles, está o desenvolvimento econômico. As propostas incluem implementar, de forma efetiva, a lei da liberdade econômica; articular crédito para atrair e reter startups e impulsionar o Pacto Alegre; estabelecer prazos máximos para os órgãos públicos; e centralizar e virtualizar o atendimento ao cidadão e ao empreendedor.
Paim promete, na área da saúde, priorizar os procedimentos de imunização contra a Covid-19, valorizar os agentes comunitários de saúde, ampliar os esforços na telemedicina e formar parcerias com as universidades para outras soluções tecnológicas.
Outro assunto abordado no plano de governo é a segurança. O candidato promete aumentar a integração das forças municipais de segurança com as forças estaduais e federais, estabelecer relações de colaboração com iniciativas da sociedade civil, e investir em tecnologia e inovação, ampliando e qualificando o cercamento eletrônico e o monitoramento das atividades ocorridas no município.
(Veja o plano completo de Gustavo Paim aqui)
João Derly (Republicanos)
João Derly
Maryanna Oliveira/ Câmara dos Deputados
Número de páginas: 21
Resumo: Em seu plano de governo, o candidato João Derly (Republicanos) promete criar uma Rede de Observatórios: Observatório Municipal de Gestão; Observatório Municipal Rural/Urbano; Observatório Municipal de Ocupação, Emprego e Renda; e Observatório da Violência.
Derly propõe também a criação do “cidadão participativo”, que seria uma versão mais atual do Orçamento Participativo. Outra proposta é fazer um pacto com os servidores públicos de Porto Alegre, prometendo reposição salarial conforme prevê a legislação, valorização, respeito e diálogo.
Na área da saúde, algumas promessas do candidato são: reestruturar a rede de saúde pública municipal; implantar a Atenção Domiciliar; fortalecer as Unidades Básicas de Saúde; e implementar políticas que fortaleçam práticas alternativas no sistema de saúde municipal, como o uso de medicamentos fitoterápicos fornecidos pelo SUS e/ou aprovados pela Anvisa.
(Veja o plano completo de João Derly aqui)
José Fortunati (PTB)
José Fortunati
Roberta Lemes/G1 RS
Número de páginas: 29
Resumo: O plano de governo de José Fortunati (PTB) aborda quatro eixos: gestão e participação, desenvolvimento econômico, social, e desenvolvimento urbano e ambiental. No primeiro eixo, uma das propostas do candidato é revisar o modelo de gestão da Prefeitura de Porto Alegre, além de realizar uma racionalização das secretarias municipais, enxugando excessos e preservando estruturas importantes para a cidade.
No eixo econômico, o candidato promete gerar emprego digno e equitativo; apoiar a economia social de mercado, a atividade autônoma e os pequenos negócios; desburocratizar a implementação de atividades produtivas; e incentivar os setores orientados para o desenvolvimento econômico sustentável.
Na área da saúde, o candidato promete criar um fundo municipal Covid-19. Além disso, outras propostas são: reabrir e ampliar a rede do Programa Melhor em Casa; desenvolver estratégias de atenção básica em Práticas Integrativas e Complementares; e ampliar as equipes de atendimento de emergências com serviços de motolância, que, segundo o candidato, podem chegar, em média, de 3 a 5 minutos antes das equipes da ambulância.
(Veja o plano completo de José Fortunati aqui)
Juliana Brizola (PDT)
Juliana Brizola
Reprodução/RBS TV
Número de páginas: 31
Resumo: Em seu plano de governo, a candidata Juliana Brizola (PDT) aborda temas como saúde, educação, turismo, saneamento, inclusão, segurança, orçamento público, finanças, entre outros assuntos.
Na área da saúde, algumas promessas de Juliana são: criar um programa de vacina; abrir hospitais desativados; garantir nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) a equipe de saúde completa; manter todos os leitos de UTI gerados pela demanda de Covid-19; reestruturar e fortalecer a Rede de Atenção Psicossocial em Saúde; e planejar ações de atenção às demandas reprimidas dos períodos pré e pós pandêmicos.
Na educação, a candidata propõe a criação de programas: Programa Municipal da Primeiríssima Infância (creches); Programa Creche Noturna: Mãe Trabalhadora, Criança Bem Cuidada (garantir o atendimento das crianças no horário noturno para que as mães possam trabalhar); Programa Municipal de Educação Integral (propõe o funcionamento das escolas integrais).
(Veja o plano completo de Juliana Brizola aqui)
Julio Flores (PSTU)
Julio Flores
Joyce Heurich/G1
Número de páginas: 18
Resumo: No plano de governo, o candidato Julio Flores (PSTU) aborda questões como habitação, emprego, mobilidade urbana e conselhos populares. Sobre emprego, algumas propostas são: redução da jornada de trabalho sem redução do salário, plano de obras e serviços públicos para gerar emprego e garantir vida digna, e fim da terceirização e da precarização do trabalho.
O candidato propõe também a abertura de restaurantes populares, que sirvam refeições a R$ 1 utilizando a agricultura familiar. Conforme Julio Flores, as famílias serão cadastradas e organizadas em cooperativas estatais, em um amplo plano nacional de reforma agrária.
Outra proposta do plano de governo envolve a área da saúde. O candidato defende a ampliação geral do SUS e a municipalização dos hospitais e dos serviços de saúde privados, começando por aqueles com dívidas com o SUS.
(Veja o plano completo de Julio Flores aqui)
Luiz Delvair Martins Barros (PCO)
Luiz Delvair Martins Barros, do PCO
Reprodução/RBS TV
Número de páginas: 37
Resumo: O plano de governo do candidato Luiz Delvair (PCO) propõe uma aliança operária e estudantil.
Algumas propostas sobre segurança citadas no plano são: ampliação e reforço nos atendimento às mulheres em situação de violência doméstica e familiar em meio à pandemia; e maior investimento nas casas de proteção às mulheres vítimas de agressão doméstica, para que as vítimas possam sair da convivência de seu agressor.
O candidato defende um governo de trabalhadores da cidade e do campo. O plano de governo de Luiz Delvair é contra o Ensino à Distância (EAD), e defende a retomada das aulas só com o fim da pandemia e com a vacina.
(Veja o plano completo de Luiz Delvair Martins Barros aqui)
Manuela D’Ávila (PCdoB)
Manuela D’Ávila
GloboNews
Número de páginas: 24
Resumo: A candidata Manuela D’Ávila (PCdoB) cita no plano de governo três eixos: trabalho e renda, renovando o ciclo econômico de Porto Alegre; cuidar da cidade; e viver melhor cuidando das pessoas. No primeiro tópico, uma das iniciativas é o poder público ser um indutor do desenvolvimento e da retomada econômica. Algumas propostas são: nova política para as compras públicas municipais; política de crédito e microcrédito; e impulsionar Porto Alegre como destino turístico.
Na área da educação, algumas promessas de Manuela são: formação continuada dos professores e profissionais da educação; monitoramento da aprendizagem; metas objetivas e publicizadas por escola; e elevar o desempenho da rede municipal no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).
No campo da saúde, a candidata propõe reorganizar a gestão da saúde municipal para garantir que todos os bairros da cidade sejam atendidos pela Estratégia de Saúde da Família (ESF); ampliar para 80% a cobertura da ESF (atingindo 100% das populações mais desprotegidas); e consolidar as linhas de cuidado com o objetivo de promover um novo modelo de gestão e de atenção, para garantir a saúde integral de mulheres, crianças e adolescentes, idosos, da população negra, de povos indígenas, pessoas com deficiência, população LGBTQIA+, entre outros.
(Veja o plano completo de Manuela D’Ávila aqui)
Montserrat Martins (PV)
Montserrat Martins
Reprodução
Número de páginas: 105
Resumo: O candidato Montserrat Martins (PV) fala em seu plano de governo sobre as secretarias municipais de Porto Alegre e as propostas para cada área.
Montserrat afirma que um programa de governo para a Secretaria da Saúde tem de iniciar por uma forte atuação da Procuradoria-Geral do Município (PGM), em conjunto com a Secretaria Municipal de Transparência e Controladoria, no exame dos contratos com as terceirizadas, as empresas de saúde.
Na área da segurança, o candidato relata, em seu plano de governo, que a Guarda Municipal deve ser considerada uma prioridade para a gestão do município, devendo ser, no mínimo, mantido o quadro atual de cerca de 400 guardas, o que, segundo Montserrat, requer concurso público ainda em 2021, devido às aposentadorias previstas. Outra proposta do candidato é de que a Secretaria Municipal de Segurança deve ter ações integradas, que podem constituir programas conjuntos com a Empresa Pública de Transporte e Circulação de Porto Alegre (EPTC), que pode ajudar em ações de combate ao crime organizado e na prevenção de acidentes violentos.
(Veja o plano completo de Montserrat Martins aqui)
Nelson Marchezan Júnior (PSDB)
Nelson Marchezan Jr.
Joel Vargas/PMPA
Número de páginas: 30
Resumo: Em seu plano de governo, Nelson Marchezan Júnior (PSDB) aborda propostas sobre temas como gestão, transparência, finanças, parcerias estratégicas, desenvolvimento econômico, segurança, saúde, educação, entre outros.
Na área da saúde, algumas promessas do candidato são: implantação de novas clínicas da família para aumentar a capacidade de atendimento das unidades de saúde; expansão dos serviços de telessaúde; aprofundamento da qualificação da estrutura dos pronto-atendimentos existentes; e ampliação da oferta de medicamentos na rede municipal de saúde.
Sobre segurança, Marchezan propõe aumentar investimentos para modernização do Centro Integrado de Controle; ampliar o parque de câmeras para a implementação das tecnologias disponíveis, como o cercamento eletrônico e o videomonitoramento analítico com reconhecimento facial; e realizar a ampliação da integração operacional com órgãos de segurança estaduais e federais.
(Veja o plano completo de Nelson Marchezan Júnior aqui)
Rodrigo Maroni (PROS)
Rodrigo Maroni
André Lisbôa | Agência ALRS
Número de páginas: 11
Resumo: O candidato Rodrigo Maroni (PROS) cita em seu plano de governo propostas sobre 10 áreas, como saúde, educação, segurança pública, assistência social, emprego, trabalho e renda, entre outras.
No campo da saúde, o candidato promete reorganizar as Unidades Básicas de Saúde (UBS), estruturando-as com infraestrutura humana, material, equipamentos e insumos, capazes de estabelecer a garantia de um funcionamento eficaz; ampliar o horário de atendimento das UBS; melhorar o serviço de atenção domiciliar, em especial para os pacientes com doenças crônicas; e implementar políticas especiais de saúde, para crianças, idosos, gestantes e portadores de doenças crônicas.
Na área da segurança, Maroni propõe firmar parceria com o governo do estado no combate da criminalidade e tráfico de drogas no município; ampliar a utilização de câmeras em lugares estratégicos da cidade; integrar ao sistema de monitoramento da cidade câmeras privadas e públicas em uma central de comando; e promover a aquisição e manutenção da frota da Guarda Municipal, com veículos de boa qualidade para prática dos serviços de segurança.
(Veja o plano completo de Rodrigo Maroni aqui)
Sebastião Melo (MDB)
Sebastião Melo PMDB candidato a prefeito Porto Alegre
Eduardo Moura/G1
Número de páginas: 17
Resumo: Em seu plano de governo, Sebastião Melo (MDB) aborda as propostas em quatro capítulos: propósito; visão sobre os serviços ao cidadão e a políticas sociais; ambiência de Porto Alegre para os negócios e o empreendedorismo; e gestão pública.
O candidato afirma que a segurança está entre as prioridades do seu plano de governo. Melo relata que as políticas propostas vão ser orientadas pelos conceitos de planejamento, território, inteligência e integração. Ele promete buscar integração da Guarda Municipal com a Brigada Militar e com outros órgãos de segurança estaduais e federais, e aprofundar o uso da tecnologia no combate à criminalidade.
Na área da educação, o candidato propõe ampliar o atendimento da educação infantil, capacitar continuamente os professores, e incrementar o número de creches e vagas correspondentes.
(Veja o plano completo de Sebastião Melo aqui)
Valter Nagelstein (PSD)
Valter Nagelstein
Divulgação/Câmara Municipal de Porto Alegre
Número de páginas: 31
Resumo: O plano de governo do candidato Valter Nagelstein (PSD) cita três eixos: desenvolvimento social; desenvolvimento econômico, urbano, tecnológico e inovador; e compromisso com a gestão pública, com a POA Digital, com redesenho de processos e valorização do servidor.
O candidato fala, no plano de governo, sobre desafios imediatos para Porto Alegre que, segundo ele, são: ações coordenadas para combater a Covid-19; políticas sociais para reduzir a violência doméstica e a criminalidade; projetos para viabilizar a retomada do crescimento econômico; providências para assistência social e desenvolvimento profissional; e preparação para o ensino híbrido.
No plano, o candidato afirma que a segurança pública é prioridade. No documento diz que o programa será construído sobre dois pilares: prevenção e enfrentamento à violência.
(Veja o plano completo de Valter Nagelstein aqui)
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”