Em Santarém, segundo vereador mais votado recebe ameaças por telefone


De acordo com Junior Tapajós, um homem ligou e mandou várias mensagens ao seu telefone pessoal fazendo ameaças. O caso foi registrado e autor das ligações já foi identificado. Junior Tapajós registrou o caso na delegacia de polícia civil
Foto: Arquivo pessoal/ Júnior Tapajós
O vereador Junior Tapajós (PL) foi alvo de ameaças em Santarém, no oeste do Pará. O segundo candidato a vereador mais votado da cidade recebeu mensagens e ligações em seu telefone pessoal. O caso foi registrado na 16ª Seccional Urbana de Polícia Civil, que investiga o caso.
De acordo com o vereador, uma pessoa estava mandando mensagens constantes para o telefone pessoal por meio de um aplicativo de mensagens instantâneas, o destratando e fazendo comentários ofensivos ao candidato a prefeito de Santarém, Nelio Aguiar.
Para não entrar no embate e discutir com o internauta, Junior preferiu bloquear o contato. Mas alguns minutos depois, ele voltou a ser alvo dos ataques, desta vez por ligações.
“Ele me ligou e eu atendi, como atendo qualquer número que me liga e ele começou a fazer vários comentários ofensivos e me ameaçar; ‘Ah você me bloqueou foi, seu vagabundo? Você vai saber quem sou eu, tenho uma caixa de azeitonas aqui pra ti’, ele estava se referindo a munições de arma de fogo”, contou o vereador.
O caso foi registrado na delegacia de polícia civil que informou ao G1 que está investigando o caso. O homem, autor das ameaças e ataques, já foi identificado.
Nas redes sociais, uma nota foi publica em nome da Câmara de Santarém em solidariedade ao vereador. Confira a nota na íntegra abaixo:
“A Câmara Municipal de Santarém se solidariza com o Vereador reeleito Júnior Tapajós que ontem (20) recebeu ameaças contra a sua vida via ligação de celular, e ressalta que o Vereador Júnior Tapajós sempre foi um vereador atuante e sempre exerceu e exerce sua função com muita dignidade.
Quando um parlamentar, eleito democraticamente pelo povo, tem o seu trabalho e a sua vida ameaçada por motivações políticas, o Estado Democrático de Direito e a cidadania também são ameaçados.
Ao passo que a CMS se solidariza , de forma irrestrita, ao parlamentar Junior Tapajós, pedimos para que o Estado, através de suas instituições competentes, investigue as ameaças sofridas pelo parlamentar e puna, na medida da Lei, os seus autores e que possa lançar mão de mecanismos protetivos para garantir não só a vida e a integridade do vereador, mas também que ele siga exercendo plenamente o seu mandato parlamentar reconhecido pela ética, comprometimento e trabalho em favor da população de Santarém”.
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.