Exemplo de superação: após quase seis meses internado, 28 dias em coma, imbitubense Luciano Martins fala da recuperação em casa

Logo no início da pandemia, em abril, Luciano Martins foi internado no Hospital São Camilo, em Imbituba. Na época, a instituição filantrópica ainda não tinha uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) disponível. Foram alguns dias sob os cuidados do corpo clínico local, mas, a situação se agravou e o imbitubense precisou ser transferido para Tubarão.


Na Cidade Azul, o quadro clínico do estudante de Direito, de 42 anos, piorou ainda mais, com complicações nos rins, fígado e pulmões. Na época, ele teve que ser internado na UTI do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), onde permaneceu por 28 dias em coma.
Foram momento difíceis para a família, já que a doença, desconhecida e de fácil transmissão, não permitia a visita dos pais, da namorada, dos irmãos, sobrinhos, tios e amigos. Entre os hospitais de Imbituba e Tubarão, Luciano ficou 178 dias internado, até que, numa quinta-feira, 08 de outubro, recebeu a tão sonhada alta e pôde voltar para a casa, ao lado dos familiares.
Por ter ficado muito tempo internado e na mesma posição, o paciente, que foi presidente da Associação dos Estudantes Universitários de Imbituba (Aeuni), teve os movimentos dos braços e das pernas reduzidos. Limitação que, aos poucos, está sendo superada com fisioterapias, massagens, atendimentos médicos e psicológicos. A Secretaria Municipal de Saúde (SEMUSA) disponibilizou uma equipe multiprofissional para atender Luciano em casa.
Todos os dias, ele passa por uma rotina de exercícios para recobrar os movimentos e voltar a vida normal.
“Estou me tratando, me cuidando e a recuperação tem sido incrível. Já estou com alguns movimentos de perna. Ainda não consigo ficar em pé, mas estou me recuperando. Estou melhorando a cada dia” disse, através de mensagem de áudio por WhatsApp, Luciano Martins.
Sobre a experiência de ter contraído a Covid-19 e ficado quase seis meses internado, longe da família e, boa parte do tempo em UTI, Luciano faz um alerta.
“É importante que as pessoas se cuidem e saibam o quão perigosa é essa doença. Eu estou correndo atrás da recuperação plena, para voltar logo a minha vida normal”, enfatizou Luciano Martins.

Tags , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.