Família denuncia sumiço de piloto em região de garimpo no interior de Roraima


Última vez que o piloto Abílio Dias Guimarães, de 60 anos, manteve contato com a família foi na manhã do dia 28 de outubro. Monomotor usado por ele também está desaparecido, segundo irmão. Abílio Dias Guimarães, de 60 anos, desaáreceu no dia 28 de outubro, diz família
Arquivo pessoal
A família do piloto Abílio Dias Guimarães, de 60 anos, denunciou o desaparecimento dele à Polícia Civil de Roraima. Ele trabalhava fazendo voos para garimpos no estado e, nesta sexta-feira (20), faz 23 dias desde a última vez que falou com esposa.
No contato, Abílio disse à mulher que estava em um garimpo em de Alto Alegre, ao Norte do estado, e afirmou que faria voo para reconhecer uma pista na região. A mensagem foi enviada por ele no dia 28 de novembro, por volta de 7h40. A família diz que este foi o último contato que tiveram com o piloto.
O desaparecimento do piloto foi registrado na Polícia Civil no dia 2 de novembro, por meio de Boletim de Ocorrência online, feito pelo irmão. Ele, segundo a família, estava em um monomotor Cessna 182 Skylane, matrícula PTFDF, que também não foi localizado.
Abílio vive em Goiânia, capital de Goiás, com a mulher e os seis filhos. E desde agosto transportava garimpeiros para o interior de Roraima, embora o estado não tenham nenhum garimpo legalizado.
Procurada, a Polícia Civil de Roraima ainda não informou como está conduzindo o caso.
Antes, segundo a família, ele trabalhava como piloto em uma empresa de UTI aérea, mas perdeu o emprego.
A família conta que soube do desaparecimento após um homem, que se identificou apenas como “Miguel”, relatar o sumiço dele e também da aeronave que ele pilotava, dois dias depois que o piloto havia falado com a esposa.
“O relato que nos deram é que ele estava em uma prainha e foi reconhecer uma pista chamada Gaúcho Animal. Disseram que ele voltaria para pegar um casal que ficou esperando na prainha, mas não voltou mais”, disse o irmão do piloto.
Ainda conforme o irmão, Miguel disse que o piloto estava sozinho na aeronave. Contou, ainda, que a aeronave era alugada.
“Entre os colegas dele, que também são pilotos, estão com a suspeita de ser um sequestro da aeronave”, disse o irmão de Abílio.
Além da queixa registrada pela família, os sumiços do piloto e da aeronave também foram registrados na Central de Flagrantes da Polícia Civil, em Boa Vista, no dia 11 de novembro. O BO foi feito por um advogado, de 67 anos, após a família insistir que os garimpeiros também comunicasse a polícia sobre o caso.
Abílio trabalha há mais de 30 anos com o serviço de transporte aéreo e chegou a atuar, inclusive, como instrutor voo, segundo a família.
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.