Família doa órgãos de menino que se afogou em clube aquático de MS: ‘Vai levar o amor dele para outras vidas’

Cirurgia de retirada dos órgãos estava marcada para esta madrugada (26), segundo uma pessoa próxima á família. Equipe de transplantes está no hospital, diz assessoria. A família do menino de 3 anos, que se afogou na piscina de um clube aquático de Campo Grande, optou por doar os órgãos dele, logo após a morte cerebral ser decretada no domingo (25). A assessoria de imprensa da Santa Casa também confirmou ao G1 que a equipe de transplantes foi até o hospital da Cassems, nesta manhã (26), onde a vítima está internada.
“A última informação que nós tivemos é que a cirurgia de retirada dos órgãos iria ser feita durante a madrugada. Ficou agendada para às 4 da manhã e estamos aguardando essa liberação para o corpo ir para o Imol [Instituto de Medicina e Odontologia Legal]. Todos os órgãos dele serão doados, com exceção do cérebro que não tinha mais atividade e também o pulmão que estava bem debilitado. Ele vai levar o amor dele para outras vidas”, disse ao G1 a funcionária pública Marta Alves, de 45 anos, que é amiga da família.
Emocionada, ele ressaltou que a família permanece muito abalada com a tragédia. “Nós estamos dando forças para a mãe, principalmente. O que nos conforta é saber que o nome dele significa luz. E ele agora será luz na vida de outras pessoas. O rim dele, o coração dele, o baço dele, os olhos dele, enfim, será luz para quem irá receber os órgãos, mesmo a gente não conhecendo estas pessoas”, comentou.
Segundo Alves, que acompanhou toda a gravidez da mãe, organizou o chá de fraldas para o menino e o cuidou em algumas ocasiões, a situação se agravou na última quinta-feira (22). “Na segunda-feira ele deu entrada no hospital da Cassems e não estava tendo reação. Na terça, ele já reagiu, mexeu os olhos e nos deu muita esperança. Só que quinta começou a regredir novamente e chegou onde chegou. Meu filho dizia que ele era o melhor amigo dele e ele me chamava de avó”, relembrou.
Marta diz ainda que o menino sempre estava sorrindo, alegre e acredita que Deus possui “um propósito com o ocorrido”. “Ele foi um grande presente e vai sempre permanecer nas nossas vidas. A mãe e o pai sempre foram muito caridosos e decidiram dividir esse amor, doando os órgãos. Nós fizemos correntes de orações e tinha igreja até do exterior participando, mas, sei que Deus tinha um plano para ele”, argumentou.
Sobre a tragédia, a amiga lamenta muito e diz que foi “tudo muito rápido, uma questão de segundos”. “A mãe quis levar um amiguinho dele para o clube e a mãe do outro menino ligou, pois, estava aflita porque ele nunca tinha ido ao clube. Ela respondeu no telefone que estava tudo bem e iria fazer um vídeo para mostrar como o outro menino estava. Nisso, em poucos segundos, o filho dela caiu na piscina. Ninguém o encontrava, achavam até que ele tinha sido roubado”, lamentou.
Entenda o caso
O fato ocorreu no dia 18 de outubro e a vítima foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu), que o encaminhou para a Santa Casa. Horas depois, a criança foi levada para o hospital da Cassems e, desde o dia 20, a assessoria de comunicação informou que o estado de saúde dele era gravíssimo.
Ainda conforme a comunicação, desde então a família pediu para não passar mais informações sobre o menino. Nas redes sociais, inúmeras pessoas postaram homenagens no Facebook dos pais. Ainda não há informações sobre o velório.
Veja na íntegra a nota da Cassems:
A Caixa de Assistência dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul informa que, à pedido da família, não será mais divulgada nenhuma informação sobre a criança. Respeitamos o pedido e nos solidarizamos com a família neste momento. Pedimos a compreensão de todos.
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.