Fragmentos podem ser encontrados em Vacaria após queda de meteoro, diz especialista


Fenômeno foi registrado dia 1º de outubro em Caxias do Sul. Professor explica que meteoritos são de cor escura, podem ter cantos quebrados e serem de vários tamanhos. Observatório registrou a queda do meteoro. Após processamento de imagens quadro a quadro foi possível obter a foto da explosão do superbólido sobre a região de Caxias do Sul e Vacaria
Observatório Espacial Heller & Jung/divulgação
Moradores da Serra podem encontrar fragmentos de um meteoro que passou pela região há cerca de duas semanas. O fenômeno foi registrado no dia 1º de outubro em Caxias do Sul. Segundo o professor Carlos Fernando Jung, os chamados meteoritos podem ser achados no solo ao norte de Vacaria.
“Estima-se que a magnitude foi de -20 muito superior ao brilho da Lua cheia que estava com -13. Queremos que a população encontre os meteoritos. Possuímos a informação que pesquisadores e caçadores de meteoritos do exterior já estão na região realizando a busca”, afirma Jung.
Estima-se que a explosão final e extinção do meteoro ocorreu a 22 km de altitude sobre o município de Vacaria. O professor, que é diretor científico da Região Sul da Bramon – Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros, explica o que são os fragmentos, chamados de meteoritos.
“Meteoritos podem se diferenciar das nossas rochas porque possuem uma cor escura. Possuem o que se denomina de crosta de fusão devido a queima que ocorre pelo atrito com a atmosfera. Podem ter cantos quebrados e serem de vários tamanhos”, relata.
Uma das característica dos meteoritos é o desnível no fragmento.
“Isto se deve ao derretimento em função da alta temperatura. Eles vem derretendo em algumas partes. São mais pesados do que nossas rochas. Por exemplo, se colocarmos lado a lado uma rocha terrestre e um meteorito do mesmo tamanho o meteorito pode ser mais pesado”.
“Também é importante ver se são atraídos por imã, apesar que possuímos rochas terrestres que também são”, acrescenta o professor.
Veja abaixo uma foto de um meteorito enviada pelo professor. “São encontrados nessa forma de imagem, com aquele tipo de crosta escura. Com o tempo devido a exposição as intempéries vão perdendo a cor escura e se tornando mais claros”.
Professor mostra a foto de um meteorito da sua coleção. Objeto é escuro e tem desníveis
Carlos Fernando Jung/arquivo pessoal
Meteoro com luminosidade maior que a Lua
Observatório registra meteoro com luminosidade maior que a lua em Caxias do Sul
A queda do meteoro com luminosidade maior que a Lua foi registrada pelo Observatório Espacial Heller & Jung, em Taquara. O fragmento iniciou a trajetória no céu de Caxias do Sul. [Veja o vídeo acima].
Ainda segundo o professor, o meteoro é um superbólido que, no final, explode.
“Em função da onda de choque que ele produz, há sensação de explosão. Quando ocorre isso, o meteoro possivelmente deixou resquícios, produzindo meteoritos no solo”, diz.
“O fato que é interessante seria que foi o maior registrado até hoje no Sul desde 2016”, acrescenta Jung.
Um morador da cidade de Vacaria disse, na época, que o fenômeno causou um clarão.
“Inclusive foi possível escutar o barulho como se tivesse trovejando por um tempo, 20 segundos com continuidade. O que chamou a nossa atenção, foi o barulho muito forte e tremendo as casas. Meu filho estava na rua no momento, e viu o clarão”, diz Edson Carlos de Almeida.
Veja vídeos do Bom Dia Rio Grande
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”