Gilberto Gil e Chico Buarque são ases no ‘jogo de verdades e mentiras’ que denunciam no single ‘Sob pressão’


Letra afiada de Ruy Guerra valoriza a música gravada pelos cantores para a temporada da série de TV que homenageia os profissionais de saúde na batalha contra o covid-19. Capa do single ‘Sob pressão’, de Gilberto Gil com Chico Buarque
Reprodução
Resenha de single
Título: Sob pressão
Artistas: Gilberto Gil e Chico Buarque
Compositores: Gilberto Gil e Ruy Guerra
Edição: Gegê Produções Artísticas
Cotação: * * * *
♪ Lançada em single nesta quarta-feira, 14 de outubro, nas vozes de Chico Buarque e Gilberto Gil, a inédita música Sob pressão é a primeira parceria de Gil com Ruy Guerra, tendo sido composta e gravada para o último episódio da extraordinária temporada sobre o covid-19 da série Sob pressão (TV Globo), a convite do diretor Andrucha Waddington.
Com palavras de Guerra, Sob pressão – a música – celebra os profissionais da saúde que enfrentam o vírus na guerra cotidiana dos hospitais sem deixar de versar sobre o “jogo de verdades e mentiras” armado no front político pelos “tontos que blefam com a morte”.
Nesse jogo, Gil e Chico são os ases que põem as vozes de tons já outonais, de viços abrandados pelos efeitos do tempo, a serviço de inspirada composição que, na gravação, transita pela seara nordestina, partindo do toque do violão de Gil para se embrenhar na terra musical do baião e da toada.
Com força poética, a letra de Ruy Guerra fala no “trem da pandemia”, ainda fora de controle. Afinados na louvação aos profissionais de saúde, mas atentos a todos os lances do “jogo duplo de azar e sorte” sobre o qual também versa a letra de Sob pressão, Gil e Chico seguem por segurança em envolvente trilho rítmico que deixa entrever a inspiração dos compositores (no caso, Gil e Guerra).
Passada a epidemia, a música Sob pressão ficará como registro histórico não somente do reencontro dos cantores – 47 anos após a apresentação (censurada) da primeira parceria de Gil e Chico, Cálice, no evento Phono 73, promovidos pela gravadora Philips em 1973 – mas desse momento singular da humanidade.
O single Sob pressão mostra dois ases no entendimento da letra e um coringa, Ruy Guerra, na escrita dessa letra afiada que termina com “esperança à frente como um guia”, soprada pelos versos finais “Vamos em frente, amigo / Vamos embora / … / Vamos a cantar a vida / Que é só agora / E, sem cantar, amigo / A vida é nada”.
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”