Glenda Kozlowski fala sobre planos para o futuro e explica saída da TV Globo: ‘Queria me redescobrir’

A repórter e cinco vezes campeã mundial de bodyboard, Glenda Kozlowski, participou do programa Pânico nesta sexta-feira, 16, e comentou o motivo que a levou a deixar o TV Globo depois de 27 anos. Segundo ela, as questões contratuais a impediam de fazer projetos que sempre foram seu sonho. “Essa mudança foi para descobrir uma nova Glenda no mundo dos negócios, no mundo de criação de conteúdo, no mundo de marketing esportivo e como mulher. Eu queria me redescobrir e, para fazer esse movimento, eu precisaria sair do grupo. Quero criar um instituto para financiar os atletas como pessoa física. O atleta que ainda não foi para a seleção passa por muitas dificuldades e eu já passei por isso. Antes do meu primeiro Campeonato Mundial recebi muitos ‘nãos’ de patrocinadores. Então quero criar esse instituto para cuidar desses atletas, para financiar o material esportivo, a equipe médica, uma temporada de treinamentos fora do país, e isso envolve muitas coisas que eu não poderia fazer porque estava no grupo [Globo], por questões contratuais”, explicou.

Apresentando o Show do Esporte na TV Bandeirantes, Glenda falou um pouco da responsabilidade de participar de um programa que foi sucesso nos anos 80 e o desafio de fazê-lo em meio a tanta tecnologia. “O Show do Esporte era tão inovador. O Luciano do Valle era de uma criatividade imensa e isso cria um desafio maior para a equipe atual, de se manter inovador mesmo com a tecnologia. Estamos preparando vários conteúdos que vão vir, a gente quer muito a participação das pessoas. Nós sabemos que nem todo mundo vai ficar de 10h até às 18h sentado no sofá olhando para a televisão, mas a gente quer que em algum momento a pessoa consuma esporte. O canal estará aberto, num dia nobre, e dedicado inteiramente ao esporte“, disse.

Questionada sobre as mudanças nas transmissões esportivas e sobre a Medida Provisória 984, que ficou conhecida como a MP do Mandante e dá direito exclusivo da partida para o time da casa, Glenda explicou que os novos movimentos vieram para ficar e o público precisará se acostumar. “Estamos passando por um movimento mundial. Tem vários lados nessa história. Tem o lado de quem tem os direitos, o lado de quem pagou a exclusividade daquele evento e tem o lado dos clubes que é quem banca a história toda. É uma discussão que vai piorar cada vez mais, porque quando envolve dinheiro essa tensão sempre cresce. Vai demorar um pouco pra gente se acostumar. Todo esse movimento de mudança requer da gente uma certa paciência e resiliência e criar um novo hábito com novos horários”, finalizou.

Veja abaixo alguns trechos da entrevista de Glenda Koslowski no Pânico:

Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”