Grávida socorrida com 90% do corpo queimado registrou queixa contra ex dois meses antes do crime

Última denúncia foi registrada no dia 10 de agosto. Vítima permanece internada em estado gravíssimo na Santa Casa de Porto Feliz (SP). A gestante de 32 anos que foi socorrida com 90% do corpo queimado, em Porto Feliz (SP), chegou a registrar denúncia por violência doméstica contra o ex-companheiro em agosto deste ano, segundo o boletim de ocorrência.
O suspeito foi preso na terça-feira (22) e alegou que jogou um líquido inflamável durante o ato sexual por confundir com água. A mulher está internada em estado gravíssimo na Santa Casa de Porto Feliz.
Segundo o G1 apurou, a vítima registrou denúncia contra o companheiro no dia 10 de agosto. No registro policial, ela alegou que decidiu se separar do homem, mas começou a ser ameaçada de morte e ele passou a ser agressivo, quebrando objetos da casa.
A vitima também alegou que pediu medida protetiva, mas foi negada. Além disso, informou que precisou dormir na rua porque tinha medo do companheiro, que tem passagens por tráfico de drogas e estava em liberdade provisória.
Queimaduras
Segundo o boletim de ocorrência, o caso ocorreu na casa da vítima, na noite do dia 9 de outubro, por volta das 23h. O homem relatou que comprou velas aromáticas em um sex shop para usar com a vítima.
Durante o momento íntimo, segundo o rapaz, ele jogou o líquido inflamável que estava na garrafa porque pensou que era água. O líquido espirrou nas velas, o que teria causado o incêndio.
Ainda segundo o registro policial, ele afirmou que a companheira tinha o costume de guardar essência para fazer perfume em uma garrafa de água, mas ele não teria sido avisado.
Quando o fogo começou a se espalhar pelo corpo, o rapaz alegou que tentou apagar com uma cortina. Depois, saiu na rua para pedir ajuda aos vizinhos porque estava sem celular para chamar o resgate.
A vítima foi levada para a Santa Casa, onde afirmou aos médicos que o marido havia jogado álcool e colocado fogo em seu corpo. Ela também teria dito que era ameaçada pelo suspeito.
A irmã da vítima também informou à polícia que achava que o casal estava separado e que, no hospital, o homem tentou entrar para ver a companheira, mas foi impedido pelo segurança após ela relatar as ameaças.
Em depoimento, o homem contou que o casal teve vários desentendimentos e que, em uma das brigas, a mulher jogou uma panela de arroz na cabeça dele.
Investigação
O caso está sendo investigado pela Delegacia de Porto Feliz. O delegado Andre Bonan afirmou que desconfiou da história apresentada pelo suspeito.
Em depoimento, o homem contou que o casal teve vários desentendimentos e que, em uma das brigas, a mulher jogou uma panela de arroz na cabeça dele. Ele foi preso temporariamente e encaminhado para a cadeia de São Roque (SP).
A Polícia Civil também ouviu a equipe do Corpo de Bombeiros que atendeu a ocorrência e confirmou a gravidade dos ferimentos.
Veja mais notícias da região em G1 Sorocaba e Jundiaí
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.