Grupo protesta para cobrar agilidade na investigação do assassinato de pecuarista em São Miguel do Araguaia


Parentes e amigos fizeram uma manifestação durante a chegada do governador de Goiás à cidade. Câmeras de segurança registraram quando Agno Rainere é baleado na porta da loja em que trabalhava. Chegada de Caiado é marcada por protesto da família de pecuarista morto
Familiares e amigos do pecuarista Agno Rainere, de 42 anos, que foi morto a tiros na porta da loja em que trabalhava, se reuniram na quarta-feira (14) para protestar no aeroporto de São Miguel do Araguaia, na região norte de Goiás, durante a chegada do governador Ronaldo Caiado (DEM) à cidade. Eles cobram agilidade na investigação do homicídio, que foi registrado por câmeras de segurança (vídeo acima).
Caiado desembarcou em São Miguel do Araguaia para cumprir uma agenda de compromissos na região. Ao ser abordado pelo grupo, o governador afirmou que a Polícia Civil está empenhada no caso e já tem algumas pistas sobre a autoria, mas que precisa de tempo para esclarecer o crime.
Procurado pelo G1, o delegado responsável pelas investigações, André Medeiros, disse que não pode passar informações sobre o caso, pois está sob sigilo.
Irmã de Agno, Haudie Rainere Jose da Costa Guimarães, de 46 anos, conta que o irmão era amado por todos que o conheciam devido o prazer que tinha em ajudar os outros. Por isso, tantas pessoas se mobilizaram para cobrar a investigação do assassinato.
“Agno era uma pessoa muito responsável. Na cidade era muito amado, pois ajudava a todos. Tinha muitos clientes na loja onde trabalhava e todos eram seus amigos. Estamos arrasados. Queremos justiça”, afirma Rainere.
Agno é morto a tiros na porta da loja onde trabalhava, em São Miguel do Araguaia
Reprodução/Instagram
Entre as pessoas que participaram do protesto está a médica Carolina Câmara de Paula, de 42 anos. Amiga de infância de Agno, ela afirma que todos os amigos ainda estão abalados com o crime.
“Eu fiquei desorientada, tanto que eu não consegui dar a notícia para a mãe dele. Ainda estou vivendo um pesadelo. Ninguém dos amigos dele está dormindo direito, ninguém está se alimentando direito, é tudo muito confuso”, relata a médica.
Assim como a família, ela pede que o autor do crime seja identificado o quanto antes. “Eu estou vivendo um luto. A mãe, as irmãs, os amigos, a cidade de São Miguel do Araguaia está vivendo um luto. Todos nós queremos respostas”, completa a médica.
Agno junto com a mãe e as irmãs, em São Miguel do Araguaia
Arquivo Pessoal
Crime
O homicídio ocorreu no último dia 30 de setembro. Câmeras de segurança flagraram o momento que um homem chega em uma moto e estaciona em frente à loja em que Agno trabalhava. Em seguida, o motociclista atira várias vezes contra a vítima e foge.
Horas após o crime, uma moto com as mesmas características da usada no assassinato foi encontrada totalmente carbonizada na zona rural da cidade, a 15 km de distância do local do homicídio. À época, a polícia informou que o veículo seria periciado para confirmar se realmente tinha sido usado pelo atirador.
Veja outras notícias da região no G1 Goiás.
Homem é morto a tiros na porta de loja onde trabalhava, em São Miguel do Araguaia
Reprodução/TV Anhanguera
VÍDEOS: notícias sobre Goiás
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.