Guarujá, Praia Grande e Peruíbe suspendem realização de queima de fogos no réveillon 2021


Demais cidades da Baixada Santista avaliam possibilidades de realização dos eventos durante virada de ano. Queima de fogos em Santos na virada de ano para 2020.
Vanessa Rodrigues/Jornal A Tribuna de Santos
A celebração oficial de réveillon, realizada tradicionalmente com queima de fogos nas praias das cidades da Baixada Santista, no litoral de São Paulo, deve acontecer de maneira diferente na virada para 2021, devido à pandemia do novo coronavírus. Guarujá e Peruíbe já optaram por suspender realização de eventos.
Em Guarujá, até segunda ordem, o tradicional espetáculo de queima de fogos na orla da praia e apresentações musicais na noite de réveillon estão suspensas, de acordo com a Secretaria de Turismo do município. Em nota, a pasta cultural afirma que esta decisão perdurará enquanto não houver soluções definitivas, como uma vacina capaz de prevenir a disseminação da Covid-19.
A Prefeitura de Praia Grande informou, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo, que ainda não há definição quanto à realização do réveillon, mas segue atenta às diretrizes determinadas no Plano SP sobre eventos, que propõe formatos diferentes de acordo com a fase da região.
Neste momento, a queima de fogos, assim como outros eventos que gerem aglomeração no município, está suspensa. A Sectur salientou que está avaliando internamente novos modelos de eventos que possam ser possíveis para a temporada de verão a fim de minimizar problemas com a alta demanda de pessoas.
Devido à pandemia do novo coronavírus, cidades se manifestam sobre possibilidade de haver queima de fogos
Ivair Vieira Jr/G1
A Prefeitura de Peruíbe também optou por suspender os eventos promovidos pela administração municipal para a virada de ano, incluindo a tradicional queima de fogos.
A Prefeitura de Santos informou, por nota, que está acompanhando e analisando o avanço da pandemia do novo coronavírus no mundo e seus impactos no setor de eventos, principalmente aqueles que têm como característica a presença maciça do público, como o réveillon.
A Secretaria de Cultura (Secult) do município esclareceu que qualquer decisão futura a respeito do réveillon em Santos será tomada em conjunto por representantes da administração municipal, autoridades sanitárias e da sociedade civil. Ressalta, ainda que qualquer decisão terá como foco principal a proteção à saúde e à segurança da população.
No entanto, em transmissão nas redes sociais, o prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) já adiantou que uma celebração tradicional é inviável diante da atual situação de pandemia. “Qualquer tipo de aglomeração, de festa, seria um contrassenso em relação a tudo o que estamos fazendo e defendendo. Então, a tendência natural é que a gente não tenha réveillon como tivemos nos últimos anos”, comentou.
As prefeituras de São Vicente, Cubatão, Itanhaém, Mongaguá ainda não definiram se haverá ou não a realização da queima de fogos na virada do ano. Até a publicação desta matéria, a administração municipal de Bertioga não haviam respondido.
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.