Hackers invadem reunião virtual do Conselho de Direitos Humanos de SC com ataques racistas e homofóbicos


Um boletim de ocorrência foi registrado sobre o caso. ‘Foi uma confusão, claramente querendo impedir a atividade’, diz presidente do Conselho. O Conselho Estadual de Direitos Humanos (CEDH) de Santa Catarina sofreu um ataque racista e homofóbico durante uma reunião virtual. Segundo a entidade, hackers invadiram a sessão e gritaram insultos. Foi feito um boletim de ocorrência.
‘Vai acontecer comigo o que aconteceu com a Marielle’, diz vereadora negra eleita e ameaçada em Joinville
O caso ocorreu na segunda-feira (16). A presidente do CEDH, Cynthia Pinto da Luz, relatou que a reunião virtual tinha integrantes do Conselho e representantes de entidades do Sul do estado.
“Durante a live, houve uma invasão de um hacker. Ele entrou, não dava pra ver o rosto. Disse ‘parem de falar, seus negros’ e outras palavras. Foi uma confusão, claramente querendo impedir a atividade. Havia pessoas negras e uma pessoa trans que estavam no debate. [Os hackers] Queriam intimidar mesmo e se mantiveram ali. Técnicos conseguiram tirá-los e conseguimos finalizar a reunião”, relatou a presidente.
Boletim de ocorrência
A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social, do qual o CEDH faz parte, informou que estão sendo feitas reuniões virtuais desde o início da pandemia da Covid-19.
A pasta também afirmou que foi feito boletim virtual de ocorrência sobre o caso no dia seguinte e enviado um ofício à Secretaria de Estado da Segurança Pública com a parte do vídeo em que houve o ataque. Foi pedido que seja feita investigação sobre o ocorrido. O G1 aguardava resposta da Polícia Civil sobre o caso até a publicação desta notícia.
A presidente do CEDH afirmou que o Conselho nunca tinha sido alvo de um ataque semelhante. “Conosco não, mas temos relatos com outras organizações políticas de defesa dos direitos humanos”, disse. “Ouvindo relatos, há uma sensação de que isso está se intensificando nesse último período”, completou.
Ataques racistas a vereadora eleita em Joinville
Ana Lúcia Martins é a primeira vereadora negra eleita em Joinville
Redes sociais/Reprodução
Nesta semana, outro caso de racismo repercutiu em Santa Catarina. A vereadora Ana Lúcia Martins (PT), primeira mulher negra eleita para a Câmara de Vereadores de Joinville, no Norte catarinense, foi alvo de agressões virtuais. Desde domingo (15), com o resultado das eleições, ela vem recebendo ataques em redes sociais e até ameaças de morte.
Perfil de autor de post racista e com ameaças contra vereadora negra de SC sai do ar
Primeira vereadora negra eleita em Joinville é vítima de injúria racial e ameaças
A Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (Dpcami) instaurou inquérito na tarde de quarta-feira (18) por injúria racial e ameaça, após um boletim de ocorrência pelos mesmos crimes ser registrado.
Ao G1, a vereadora disse que, quando soube da ameaça de morte publicada em uma rede social, na terça (17), durante a reunião com assessores, ela logo pensou: “Vai acontecer comigo o que aconteceu com a Marielle. E eu me perguntava, gente, mas eu nem assumi o mandato”.
Ao mesmo tempo, a vereadora eleita classificada em sétimo lugar nas eleições municipais afirma que o episódio dá força para seguir com os planos de candidatura de paz no Legislativo. Ela assume para a gestão 2021 – 2024.
“Desde a minha adolescência eu participo de movimentos sociais, participo do movimento negro, da organização de mulheres negras e todos esses movimentos fortaleceram essa candidatura e todos esses movimentos e muitos outros estão sendo solidários. Ninguém vai nos impedir de ocupar este lugar”, afirmou.
Vereadora eleita em Joinville é alvo de ataques racistas
VÍDEOS: mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias
Veja mais notícias do estado no G1 SC
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.