Homem é preso suspeito de espancar a companheira grávida por quatro horas e mantê-la em cárcere, em Posse


No dia seguinte às agressões, suspeito saiu para trabalhar e deixou vítima trancada, mas ela conseguiu fugir pela janela. Devido ao medo, mulher demorou dois dias para denunciar crime. 13ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Posse, em Goiás
Divulgação/Polícia Civil
Um homem foi preso preventivamente, na terça-feira (13), suspeito de espancar a companheira grávida durante quatro horas e mantê-la em cárcere privado, em Posse, na região nordeste de Goiás. Segundo a Polícia Civil, no dia seguinte às agressões, o suspeito saiu para trabalhar e deixou a vítima trancada, mas ela conseguiu fugir pela janela. Devido ao medo, ela demorou dois dias para denunciar o crime.
O G1 não conseguiu localizar a defesa do suspeito, pois o nome dele não divulgado pela corporação.
O crime aconteceu no dia 6 de outubro, uma semana antes da prisão. De acordo com o delegado Alexandre Augusto Costa Câmara, da 13ª Delegacia Regional de Polícia de Posse, a vítima contou que foi levada para um lugar ermo, onde foi espancada pelo suspeito. As agressões só pararam, quatro horas depois, quando ela concordou em se reconciliar com ele.
No dia seguinte, o suspeito a trancou a companheira em casa e saiu para trabalhar, e ela conseguiu fugir por uma janela e foi para a residência de parentes. No entanto, por medo, a vítima só procurou a polícia após dois dias, devido ao estímulo da família.
“Ela chegou muito abalada emocionalmente, porque não queria vir à delegacia, mas a família a convenceu. Ela não conseguia falar direito, mas contou que ele a levou para um local ermo, agrediu ela, depois a levou para a casa dele. E quando ele saiu para trabalhar, ela conseguiu fugir pela janela e procurou ajuda na casa de familiares”, disse.
Após o depoimento, a vítima fez exames de corpo de delito e foi expedido um mandado de prisão preventiva contra o homem. O investigado agora está à disposição do Poder Judiciário.
“A prisão não era mais em flagrante, então, nós solicitamos medidas protetivas e automaticamente o inquérito foi instaurado. Ele vai responder por lesão corporal, cárcere privado”, disse.
Veja outras notícias da região no G1 Goiás.
VÍDEOS: últimas notícias de Goiânia e Região Metropolitana
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”