Homem é preso suspeito de estuprar filho de amiga após ela ser presa, em Goiatuba


Segundo delegado, a vítima esteve aos cuidados do suspeito enquanto sua mãe cumpria pena. Neste período, teria sido abusada sexualmente em diversas ocasiões. Número de estupros na cidade subiu 100% em um ano. Delegacia da Polícia Civil de Goiatuba Goiás
Reprodução/Polícia Civil
Um homem de 29 anos foi preso preventivamente suspeito de abusar sexualmente de um menino de 8 anos, em Goiatuba, no sul de Goiás. Segundo investigação, a vítima esteve aos cuidados do suspeito enquanto sua mãe cumpria pena. Neste período, teria sido abusada sexualmente em diversas ocasiões.
O delegado responsável pelo inquérito, Patrick Carniel, disse que o suspeito foi preso na terça-feira (20), quando a Justiça de Goiás concedeu o pedido de prisão preventiva feito pela polícia. Como o nome do homem não foi divulgado, o G1 não localizou a defesa para se manifestar sobre a investigação.
O menino relatou detalhes dos abusos à polícia e, inclusive, foi flagrada com outra criança ao narrar os atos de violência. O homem, por sua vez, ficou em silêncio durante o depoimento, segundo o delegado.
Carniel explica que detalhes da investigação correm em sigilo para não identificar a vítima. O tempo em que o menino ficou sob os cuidados do suspeito e o crime pelo qual a mãe foi presa, por exemplo, não podem ser divulgados.
Números de estupros sobem em Goiatuba
Carniel conta que este é o 10º suspeito de estupro de vulnerável preso pela Polícia Civil na cidade, somente neste ano.
Dentre as vítimas, há uma idosa de 60 anos, que é portadora de retardo mental, e nove crianças com idades de 7 a 13 anos, sendo oito meninas e um menino.
Este número, segundo o delegado, representa um aumento de 100% nos casos de estupro, já que entre janeiro e dezembro de 2019 foram presos cinco suspeitos de crimes sexuais na cidade.
“O aumento nos números estão relacionados a apuração dos casos, a divulgação da conclusão e as prisões. Com isso, as vítimas passaram a perceber que o que elas estão sofrendo tem consequência para os autores e começaram a denunciar”, explica o delegado.
O crime de abuso sexual sempre existiu, segundo o delegado. A dificuldade surge quando a criança não encontra mecanismos para denunciar a agressão.
“A denúncia normalmente acontece na igreja, na escola ou para um amigo que acaba contando para a mãe. Esse tipo de denúncia chega à polícia e ela passa a apurar”, pondera Carniel.
VÍDEOS: Veja as notícias de Goiás
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.