Homem faz coleção de ‘santinhos’ de eleições há 24 anos no ES


Alexandre Leal é guarda civil municipal e reúne as propagandas dos candidatos a prefeito e vereador de Cachoeiro de Itapemirim das últimas seis eleições municipais. ‘Não tem um motivo, é inexplicável’, diz. Cachoeirense guarda ‘santinhos’ de eleições municipais há 24 anos, no Sul do ES
Quase todos os candidatos que já disputaram as eleições municipais dos últimos 24 anos em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Espírito Santo, estão catalogados em um acervo. Embora isso pareça, à primeira vista, um tipo de repositório de dados, o conjunto de informações, na verdade, é fruto do hobby de um morador que ajuda a eternizar parte da história política da cidade.
Como vários outros colecionadores espalhados pelo mundo, o guarda civil municipal Alexandre Leal, de 48 anos, viu, em itens aparentemente sem valor, uma riqueza que merece ser conservada. Nesse caso, o tesouro consiste em uma coletânea de “santinhos” políticos.
Morador reúne fotos de candidatos a vereador e prefeito de Cachoeiro de Itapemirim desde 1996
Reprodução/ TV Gazeta
A ideia de colecionar as imagens de candidatos políticos de Cachoeiro de Itapemirim surgiu em 1992, quando Alexandre reuniu os primeiros “santinhos”. Entretanto, ele achou que não daria sequência ao acervo e se desfez do material.
Só a partir da eleição municipal seguinte, em 1996, o guarda civil municipal começou a coleção que alimenta até hoje. “Foi uma coisa sem explicação, comecei por começar. Não sei o que me deu na cabeça”, contou.
Alexandre organiza todo o material sozinho
Reprodução/ TV Gazeta
De lá para cá, já são seis pastas – uma para cada eleição – e milhares de “santinhos”. O colecionador faz questão de reunir o maior número possível de candidatos. Por isso, o processo de coleta do material mobiliza toda a família e os amigos.
“É um grupo. Até a minha netinha de um ano e cinco meses me ajuda. Quando sai na rua, onde ela vê um santinho, ela abaixa, pega e guarda. Todo mundo entra na brincadeira”, disse.
Neta do colecionador, de um ano e cinco meses, ajuda a compor o acervo de Alexandre
Arquivo Pessoal
Quando não encontra o material de campanha nas ruas, Alexandre recorre ao site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ou às mídias sociais dos políticos para encontrar fotos de todos.
“Este ano, dos mais de 400 candidatos, eu devo ter uns 380, mais ou menos. Falta esse restante que estou pesquisando ainda, mandando imprimir. Acho que, de 2012 para cá, se não tenho todos, tenho cerca de 98%”, disse.
O trabalho de organização e catalogação dos santinhos é responsabilidade exclusiva dele. Os candidatos aos cargos de prefeito ocupam as primeiras páginas das pastas. Em seguida, vêm as imagens dos candidatos aos cargos de vereador, organizadas por partido.
O colecionador também sinaliza quais daqueles nomes foram eleitos e anota a quantidade de votos que cada um recebeu, montando um acervo invejável a qualquer entidade política.
“É uma coisa gostosa pegar essa pastas 20 anos depois e olhar, ver gente que você conheceu, gente que, infelizmente, não está mais com a gente. Tem nomes engraçados que você retorna, vai rindo sozinho, achando engraçado aquela foto. Vão passando os anos, a pessoa muda a fisionomia, você vai acompanhando”.
Ao envolver todos ao seu redor, não é difícil que Alexandre seja questionado sobre o porquê de dedicar tanto tempo e esforços à prática. Mas, como bom colecionador, ele deixa de lado as críticas e segue mantendo, com muito orgulho, uma coletânea única.
“Às vezes, as pessoas acham que sou doido, mas não adianta tentar explicar, tem gente que coleciona tampinha, moeda. Enfim, só essas pessoas que gostam e sentem prazer de colecionar algum tipo de coisa é que podem falar com clareza”, finalizou.
Após 24 anos reunindo santinhos, Alexandre se orgulha do feito
Reprodução/ TV Gazeta
VÍDEOS: comentaristas analisam primeiro turno das eleições 2020
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.