Indefinição na normalização das ruas afetadas por obras do rio Mathias

Comerciantes das ruas Visconde de Taunay e Jerônimo Coelho participaram na terça-feira (4), da Comissão de Urbanismo para cobrar da Prefeitura quando e como serão normalizadas as duas vias, depois que prefeito decidiu rescindir o contrato das obras de macrodrenagem do Rio Mathias.

A Secretaria de Administração foi convidada mas não enviou representante. A pasta apresentou um ofício à Comissão afirmando que rescisão dos contratos está na fase em que a empresa pode apresentar recurso contrário, até o prazo de 10 de agosto. Depois disso, haverá um novo prazo para a análise do recurso, caso apresentado pela empresa.

Para a comerciante Giovana Locatelli, o que se vê é um desrespeito para com os comerciantes e os munícipes. “A obra entrou na Via Gastronômica no final de novembro do ano passado, já perdemos uma temporada de alto faturamento e está arriscado perdermos mais uma temporada”, reclamou.

Ela reivindicou que um representante dos empresários possa ter contato direto com a comissão de acompanhamento da Prefeitura para saber as informações sobre a rescisão do contrato. O diretor executivo da Secretária de Governo, Jalmei Duarte, afirmou que isso será possível.

O comerciante Eduardo Hardt cobrou que a Prefeitura informe sobre o cronograma de obras de normalização das vias.

Novo cronograma

Segundo o secretário de Infraestrutura Urbana, Romualdo França, ainda não se pode falar em cronograma porque corre o processo de rescisão dos contratos.

“A Seinfra acredita que levará até 3 meses para fazer as obras de normalização das vias, mas para o seu início depende desses vários procedimentos administrativos já citados para o distrato do contrato”, afirmou.

O secretário de Planejamento Urbano, Rafael Bendo, afirmou que o prefeito procurou a Sepud para achar uma solução para a normalização das vias em caso de rescisão do contrato, e há aproximadamente um mês os técnicos da pasta começaram a trabalhar nisso.

“O projeto está quase finalizado, precisando apenas de alguns ajustes”. Segundo Bendo, na rua Jerônimo Coelho deve ser adotado um modelo de calçadão em que a rua fica no mesmo nível da calçada. Já a Visconde de Taunay deverá ficar como era antes do início das obras.

Para o secretário de Infraestrutura, a Sepud fez uma boa estratégia de revitalização, de fácil execução e que permitirá, no futuro, uma possível troca das galerias.

Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.