As informações constam em boletins da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive-SC) que levam em consideração semanas epidemiológicas, ou seja, os números de 2020 envolvem registros entre 29 de dezembro de 2019 e 16 de abril de 2020. Já os dados de 2019, levam em conta o período de 30 de dezembro de 2018 a 28 de dezembro de 2019.

Casos em investigação

Dos 1.515 casos suspeitos deste ano, 768 estão em investigação para identificar a causa e outros 163 foram ocasionados por outros vírus respiratórios não especificados. Os demais foram diagnosticados como gripe e outros vírus respiratórios.

Pode estar havendo subnotificação [para coronavírus] e pode estar havendo problema de exame para outras doenças respiratórias, e é natural já que estamos com as atenções voltadas para a Covid-19. Estamos adquirindo mais testes para demais vírus respiratórios, disse a médica Regina Valim, da Secretaria de Estado da Saúde.

Conforme atualização divulgada na quarta-feira (22), o estado tem 1.115 casos confirmados de coronavírus, incluindo 39 mortes.

SRAG

O Boletim da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive-SC) mostra que entre 30 de dezembro de 2018 e 17 de abril de 2019, dos 161 casos suspeitos de SRAG, somente 11 continuam em investigação. Os outros foram confirmados para gripe, outros vírus e não especificados.

Durante o ano de 2019, foram notificados 2.103 casos suspeitos de SRAG em Santa Catarina, dos quais 1.229 não foram classificados como sendo de nenhuma doença, 512 foram confirmados para gripe, 354 para outros vírus e seis estavam em investigação.

Mortes em março por SRAG

Somente em março, foram 68 mortes por síndrome respiratória aguda grave em Santa Catarina, sendo 47 de tipo não especificado.

O município de Laguna, no Sul, foi o que mais teve óbitos: foram cinco, todos de síndrome aguda não especificada.

Tubarão e Criciúma, na mesma região, tiveram quatro e três mortes, respectivamente, por síndrome aguda, nenhuma delas identificada.

Em março, o estado confirmou duas mortes por coronavírus: uma no dia 26, contabilizada em Porto Belo, e outra no dia 30, em Joinville. Desde então, mais 35 óbitos foram confirmados como tendo sido causados por Covid-19.

Número de mortes em março por SRAG em SC

Município Número de óbitos
Abelardo Luz 1 SRAG não especificada
Araquari 1 SRAG não especificada
Araranguá 2 SRAG não especificada
Bom Retiro 1 SRAG não especificada
Brusque 2 aguardando resultado
Canoinhas 2 SRAG não especificada
Capinzal 1 aguardando resultado
Corupá 1 SRAG não especificada
Criciúma 3 SRAG não especificada
Florianópolis 3 SRAG por outros vírus respiratórios
Fraiburgo 1 SRAG não especificada
Garopaba 1 SRAG não especificada
Guaramirim 1 SRAG não especificada
Herval D’Oeste 1 SRAG não especificada
Imbuia 1 SRAG não especificada
Iporã do Oeste 1 SRAG não especificada
Itaiópolis 1 SRAG não especificada
Itajaí 4 SRAG não especificada
Itapiranga 1 SRAG não especificada
Jaraguá do Sul 2 SRAG não especificada
Joinville 4 SRAG não especificada
Lages 1 SRAG por Influenza
Laguna 5 SRAG não especificada
Palhoça 2 SRAG por outros vírus respiratórios
Pedras Grandes 1 SRAG por outros vírus respiratórios
Porto Belo 1 SRAG por outros vírus respiratórios
Rio do Sul 1 SRAG não especificada
Sangão 2 SRAG não especificada
Santa Rosa do Sul 1 SRAG não especificada
Santo Amaro da Imperatriz 1 SRAG por outros vírus respiratórios
São Francisco do Sul 1 SRAG não especificada
São Joaquim 1 SRAG não especificada
São José 1 SRAG não especificada
São Lourenço do Oeste 1 SRAG não especificada
São Ludgero 1 SRAG por outros vírus respiratórios
São Pedro de Alcântara 1 SRAG não especificada
Sombrio 1 SRAG por outros vírus respiratórios
Três Barras 1 aguardando resultado
Treze de Maio 1 SRAG não especificada
Tubarão 4 SRAG por outros vírus respiratórios
Urussanga 2 SRAG por outros vírus respiratórios
Xanxerê 3 SRAG não especificada

Subnotificações de Covid-19

Sobre o número real de casos de Covid-19, Regina Valim disse que uma das formas de se chegar a um número mais exato seria começar a notificar os casos menos graves da doença. Isso porque, no estado, só são considerados como infectados os que estão em situação mais séria.

“Isso já tem sido feito em Florianópolis. As pessoas com sintomas leves que testam positivo são notificados como casos de coronavírus. É uma estratégia que está em discussão com os municípios, mas que precisa ser muito bem trabalhada antes”, disse.

Sintomas

A Síndrome Respiratória Aguda Grave é caracterizada por quadro de febre de início súbito, mesmo que referida, acompanhada de tosse ou dor de garganta e pelo menos um dos seguintes sintomas: cefaleia, mialgia ou artralgia (dor articular), na ausência de outro diagnóstico específico, além de dispneia, sinais de desconforto respiratório ou aumento da frequência respiratória avaliada de acordo com a idade, piora nas condições clínicas de doença de base, hipotensão em relação à pressão arterial habitual do paciente, entre outros sinais e sintomas.


Com Agências