Internet pode impulsionar campanha eleitoral no Alto Tietê

Divulgação em redes sociais e outras plataformas ajuda candidatos em época de pandemia. Pandemia do novo coronavírus altera forma de campanha das eleições municipais de 2020
Os candidatos a prefeito ou vereador já podem fazer propaganda nas ruas e na internet. Novembro está chegando ligeiro e dessa vez, a campanha, por causa da pandemia do novo coronavírus, vai ser mais acirrada do que nunca. Se a gente deslizar o feed das redes sociais, logo encontra algum candidato ou político divulgando iniciativas ou apresentando propostas.
Quem tem o hábito de acessar as plataformas digitais já percebeu que as eleições estão chegando. “É legal já que a gente tem a internet né como outro meio de comunicação. Também consegue acompanhar e ver algumas propostas”, avalia a operadora de loja Roseli Aciolo Alves.
A passadeira Dorothy Mara Vicente observa que as campanhas na internet são melhores. “Já há um bom tempo não tem mais aquele que era faixa e essas coisas que sujavam a cidade. Agora com a pandemia é o único meio que tem as redes sociais, whatsapp, stories, status.”
De acordo com o calendário eleitoral deste ano, a campanha oficial começou neste domingo (27). Em 2020, existem várias regras que devem ser seguidas na campanha digital dos candidatos.
É permitido
impulsionar conteúdo nas mídias sociais e outras plataformas
necessário o controle de gastos nas campanhas feitas pela internet
proibido o uso de fakes e robôs
necessária a remoção de conteúdo nos meios digitais, que não respeitem a legislação
direito de resposta
A cada nova eleição, a Justiça Eleitoral amplia as possibilidades de uso das plataformas on-line para divulgação de candidatos, partidos e campanhas. Quem trabalha nesta área não deve entender só de relacionamento pela internet. É preciso saber de cor a legislação eleitoral vigente.
O publicitário Severino Netto de Mogi das Cruzes tem uma agência de marketing eleitoral digital há dois anos. Como o trabalho é on-line, ele consegue atender candidatos de várias cidades do País.
Eles já se dedicam às eleições desde abril. “A gente começa sempre entendendo o contexto do candidato, a história dele, os valores, os princípios que ele defende. Justamente para que a gente possa começar a construir essa identidade política. Não adianta usar as redes sociais para falar de si mesmo. É preciso ter a história, se relacionar com as pessoas com base nisso,”
Esse ano, por causa da pandemia, a campanha na internet deve ter ainda mais importância para os candidatos. “As pessoas estão mais em casa e na internet e o candidato precisa usar muito bem o digital. Pensando que todo mundo vai fazer campanha digital e qual estratégia ele pode usar para criar oceanos azuis, que a gente fala quando tá muito concorrido, ele usar outros caminhos que não estejam tão concorridos para chamar a atenção das pessoas”, explica Severino.
Assista a mais notícias
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”