Justiça Federal no Amapá afasta diretorias da Aneel e do ONS

A decisão do juiz João Bosco Soares afastou as diretorias por 30 dias, a partir da notificação, para que não interfiram na apuração das responsabilidades do apagão no estado Justiça Federal no Amapá afasta diretorias da Aneel e do ONS
A Justiça Federal no Amapá determinou o afastamento das diretorias da Agência Nacional de Energia Elétrica e do Operador Nacional do Sistema.
A decisão do juiz João Bosco Soares, da 2ª Vara Federal no Amapá, afastou as diretorias por 30 dias, a partir da notificação, para que não interfiram na apuração das responsabilidades do apagão.

O juiz destacou que “o lamentável blecaute ocorrido no Amapá é reflexo de um ‘apagão de gestão’ provocado por uma sucessão de ‘governos federais’ que negligenciaram o planejamento adequado de políticas públicas de produção, transmissão e distribuição de energia elétrica”.
A Aneel e o ONS declararam que ainda não foram notificados, mas que vão recorrer contra a decisão.
Duas usinas térmicas da Eletronorte estão recebendo os geradores termelétricos que vão permitir a retomada total da energia para o estado. Os equipamentos vão passar pela fase de montagem e testes, e a expectativa da Eletronorte é que eles entrem em funcionamento até sábado (21).
O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, visitou o Amapá nesta quinta-feira (19) pela terceira vez desde o começo do apagão. Ele fez uma nova visita à subestação da LMTE, onde está sendo instalado o transformador que promete estabilizar o fornecimento de energia. Ele não deu entrevista durante a visita. Houve um protesto em frente à subestação.

O apagão continua produzindo tragédias. Sérgio Cley de Almeida, de 50 anos, trabalhava em uma empresa de manutenção da rede de energia. Ele morreu no fim da tarde de quarta-feira (18) depois de levar uma descarga elétrica na comunidade quilombola onde morava.
“A ida e vinda desse apagão, ele foi ligar, bater uma chave, que cai no interior quando vem muito forte a energia, e ele pensava que não estava energizada a rede, e foi colocar com a mão. Ele foi eletrocutado”, diz Núbia Souza, coordenadora das Comunidades Quilombolas do Amapá.
Em Macapá, um incêndio destruiu uma casa na madrugada desta quinta. Segundo os moradores, o fogo começou depois que a energia voltou. O Corpo de Bombeiros já realizou dez perícias nos últimos sete dias em casos semelhantes a esse.
“Eu acredito que foi a energia. A gente está aguardando ainda a perícia, mas a gente tem essa convicção. O meu filho estava com uma única vela no quarto dele no início e o fogo começou lá atrás”, conta o motorista Wellington Médici.

Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.