Justiça inaugura uso de plataforma para otimizar serviços na comarca Pará de Minas


Ao todo, 36 municípios serão beneficiados com o modelo. De acordo com o desembargador Newton Teixeira Carvalho, o objetivo é diminuir o volume de papéis, além de facilitar a elaboração de dados estatísticos. Inauguração virtual do programa realizada pela Justiça mineira
Cecília Pederzolli/TJMG
O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) inaugurou o uso da plataforma do Processo Judicial eletrônico (PJe) no Centro Judiciário de Solução de Conflitos (Cejusc) Pré-processual, na comarca de Pará de Minas, na última quinta-feira (15). Ao todo, 36 municípios foram beneficiados em todo o Estado.
As seguintes comarcas serão contempladas nesta primeira fase: Alto Rio Doce, Barão de Cocais, Barroso, Betim, Caeté, Carmo do Paranaíba, Carmo do Rio Claro, Conceição do Mato Dentro, Contagem, Curvelo, Governador Valadares, Guaxupé, Igarapé, Ipatinga, Itabira, Itajubá, Janaúba, Jequitinhonha, Juiz de Fora, Malacacheta, Muriaé, Pará de Minas, Paraguaçu, Patos de Minas, Peçanha, Pirapora, Poços de Caldas, Pratápolis, Santa Luzia, Santa Rita do Sapucaí, São Sebastião do Paraíso, Sete Lagoas, Três Corações, Três Pontas, Uberaba e Uberlândia.
De acordo com o 3º vice-presidente do Tribunal mineiro, desembargador Newton Teixeira Carvalho, o PJe no setor pré-processual do Cejusc irá otimizar os serviços, diminuir o volume de papéis, facilitar a elaboração de dados estatísticos e reduzir a necessidade de deslocamentos de cidadãos que buscam soluções para os conflitos, beneficiando, em especial, os que pertencem às camadas menos favorecidas da sociedade.
O magistrado explica ainda que a utilização do sistema se traduzirá em maior qualidade dos serviços prestados ao cidadão e ao advogado. “Será muito importante também porque poderemos interligar essas comarcas. O objetivo é, posteriormente, expandir a medida para toda Minas Gerais”, destacou.
Avanço
Conforme o TJMG, a plataforma do PJe é considerada um avanço para o setor pré-processual dos Cejuscs. Isso porque, em grande maioria, esses espaços do Judiciário não contavam com nenhum sistema informatizado de tramitação dos feitos.
A aplicação substituirá o Sistema de Mediação (SIME) nas 11 comarcas que o utilizam, além de permitir a informatização de outros 186 Cejuscs instalados no Estado.
A implantação do PJe seguirá um cronograma definido pela 3ª Vice-Presidência, sendo que na primeira fase serão contemplados 36 Cejuscs que já contam com servidores com dedicação exclusiva e que têm certificado digital (token), estando aptos a operar o sistema.
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”