Luxottica, maior fabricante de óculos do mundo e dona da Ray-Ban, sofre ataque de vírus de resgate


Parte das atividades da empresa foram temporariamente suspensas na Itália e na China, mas já foram retomadas. Vírus de resgate atingiu sistemas de fabricante de óculos.
Simon Stratford/Freeimages
A italiana Luxottica, maior fabricante de óculos do mundo, sofreu um ataque cibernético com um vírus de resgate e chegou a suspender parte das atividades na Itália e na China para restaurar os sistemas na semana passada.
Vírus de resgate (ou “ransomware”) são pragas digitais que embaralham os dados dos computadores que contaminam. Com os dados corrompidos, os computadores deixam de funcionar corretamente.
Os responsáveis pelo vírus então cobram um valor em dinheiro para oferecer uma ferramenta capaz de restaurar os arquivos, ou seja, o “resgate”.
Saiba mais: Paciente morre após hospital que sofria ataque cibernético suspender atendimento na Alemanha
A Luxottica, vítima deste ataque, é dona da Ray-Ban e fabrica armações em nome de muitas marcas, como Oakley, Emporio Armani, Prada, Polo Ralph Lauren e Chanel.
No Brasil – que não foi afetado pelo ataque, segundo a empresa –, a Luxottica também atua no varejo com as Óticas Carol.
Os primeiros problemas foram confirmados à imprensa italiana na última segunda-feira (21) por fontes ligadas a sindicatos.
Segundo essas informações, funcionários voltaram para casa por conta da indisponibilidade dos sistemas. A Luxottica diz ter 80 mil funcionários no mundo todo.
A Luxottica não publicou nenhum comunicado sobre o ocorrido, mas confirmou o ataque ao blog.
A empresa comunicou que as atividades já foram retomadas e que 10% dos servidores da empresa foram afetados e recuperados, enquanto outros 14% estão em análise. A maior parte dos sistemas, portanto, não teria sido comprometida.
Segundo a companhia, o ataque ocorreu na noite do dia 19 de setembro. O site “BleepingComputer” afirmou que um funcionário da companhia relatou que o ataque teve efeitos em escritórios no mundo todo. Ao blog, a empresa só confirmou suspensões parciais e temporárias na China e na Itália.
Em ataques recentes, os responsáveis por vírus de resgate têm ameaçado divulgar informações capturadas dos servidores contaminados. Até o momento, nenhum indício dessas ameaças contra a Luxottica apareceu nos sites mantidos pelos criminosos.
Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para g1seguranca@globomail.com
VÍDEOS: Aprenda dicas sobre segurança digital
l
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”