Mudanças no código de trânsito divide opiniões entre motoristas do Alto Tietê; veja o que muda


Novas regras devem entrar em vigor em abril de 2021. Entre as mudanças estão o aumento do número de pontos na CNH. Mudanças no Código de Trânsito Brasileiro passam a valer seis meses após sanção da lei
Foi sancionada nesta semana a lei que altera alguns itens do Código Brasileiro de Trânsito. Entre as mudanças estão o aumento no limite da pontuação na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e a suspensão do uso de faróis em rodovias durante o dia. As novas regras devem entrar em vigor em abril de 2021.
Bolsonaro sanciona lei que altera regras do Código de Trânsito
Aplicativo da CNH digital vai permitir pagamento de multas com 40% de desconto
As alterações, no entanto, dividem opiniões entre os motoristas do Alto Tietê. A engenheira mecânica Rosângela Martins, por exemplo, não gostou da mudança, que passa de 20 para 40 o limite máximo de pontos na CNH. Para ela, isso pode aumentar o risco de acidentes. “Realmente, aumentando os pontos da carteira, acho que não. Contribui para a imprudência dos motoristas”.
O novo texto já sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro ainda estabelece uma escala com três limites de pontuação para que o documento seja suspenso:
O condutor que cometer duas ou mais infrações gravíssimas num período de 12 meses pode ser suspenso com 20 pontos;
Se cometer uma infração gravíssima também no período de um ano, pode ser suspenso com 30 pontos;
Já pra quem exerce atividade remunerada, a suspensão vai ser com 40 pontos, independentemente do tipo de infração.
O último item agradou motoristas profissionais, que utilizam o veículo como fonte de renda. É o caso do Marcelo Henrique Vieira de Souza, que trabalha como motorista de aplicativo. “A minha carta é profissional. Então, pra mim, achei que foi bom. Pelo menos nessa parte aí do ponto, que a gente não vai mais perder a carta com 20 pontos. Para mim foi bom”.
Em uma transportadora de cargas em Mogi das Cruzes, as novas regras também agradaram os profissionais que pegam estrada todos os dias, como explica a gerente Juliana Fernanda de Paula.
“A CNH é um instrumento de trabalho para o nosso pessoal, para os nossos motoristas. Quando ele atingia a pontuação, ele ficava com a CNH suspensa. Dessa forma, ele não podia trabalhar e o nosso seguro de carga também não liberava caso acontecesse algum sinistro”.
“Muitas vezes a gente precisou remanejar alguns motoristas porque estavam com a carteira cassada até resolver, então ele virava ajudante de carga, carga e descarga ou vinha ajudar até no escritório”, completa.
Mudanças no código de trânsito divide opiniões entre motoristas do Alto Tietê; veja o que muda
Reprodução/TV Diário
Outra alteração importante no CTB tem a ver com o tempo pra renovação da carteira de motorista. Para condutores com menos de 50 anos, o prazo foi ampliado para 10 anos. Para quem tem entre 50 e 70 anos, a validade é de cinco anos. Para quem tem 70 anos ou mais, a renovação precisa ser feita a cada três anos.
Também tem mudança em relação ao uso dos faróis nas rodovias. Desde 2016, a lei prevê que os motoristas são obrigados a ligar os faróis quando trafegam em rodovias, mesmo durante o dia. A regra vale para todas elas, inclusive as que estão no perímetro urbano.
O novo texto retira essa obrigatoriedade. Na prática, quando as mudanças entrarem em vigor, quem passar pelo trecho urbano de rodovias como a SP-66, que corta cidades como Mogi das Cruzes, Suzano e Poá, não vai precisar mais ligar o farol.
A nova legislação também enfraquece as punições para os motociclistas. Antes, quem trafegava com o capacete sem viseira ou com a viseira aberta, cometia infração gravíssima. Agora, com as mudanças, a infração passa a ser média.
Assista a mais notícias
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.