Mulher detida por injúria racial após dizer que odeia negros tem transtorno bipolar, diz laudo


Documento, datado nesta quinta-feira (15), foi assinado por um psiquiatra e apresentado à TV Cabo Branco pelo marido da suspeita, que presenciou o crime. Mulher detida por injúria racial após dizer que odeia negros tem transtorno bipolar, diz laudo
TV Cabo Branco/Reprodução
A mulher detida por injúria racial após agredir verbalmente um homem e dizer que odeia negros, na quarta-feira (14), em João Pessoa, apresenta um quadro de transtorno afetivo bipolar, conforme atesta um laudo médico, emitido pelo psiquiatra da família. O documento, datado nesta quinta-feira (15), foi apresentado pelo marido da suspeita à TV Cabo Branco.
Mulher é detida por injúria racial após dizer que odeia negros
Ainda conforme o laudo, a mulher também apresenta sintomas maníacos e psicóticos, no momento. O marido da suspeita declarou, ainda, que ela foi diagnosticada com a doença em 2017, que melhorou após ser medicada, mas voltou a apresentar piora no quadro clínico.
“Ela está meio arredia a voltar à medicação e aconteceu essa questão ontem. De repente, dá essa coisa na cabeça dela. Eu peço perdão primeiramente ao amigo que estava presente lá no banco e a todos que se sentiram ofendidos”, disse o marido.
Segundo informou o delegado Pedro Ivo, o documento não foi apresentado à polícia. Mas, pode ser entregue durante o decorrer do inquérito.
Mulher é detida por injúria racial após dizer que odeia negros
Um vídeo gravado dentro de uma agência bancária mostra o momento em que o homem foi agredido verbalmente com gritos e palavras racistas. As imagens, que se tornaram virais nas redes sociais, foram gravadas por alguém que estava no local e mostra quando a mulher diz: “sou a maior racista do planeta terra, odeio a raça negra”.
A vítima é Daniel Lima, bugueiro e guia turístico. Ele conta que chegou na agência para fazer um depósito e, enquanto estava fazendo o procedimento, a mulher estava na fila para outro atendimento. “Ela perguntou porque o banco havia fechado com alguém da raça negra”, conta ele. Ela se referia a uma pessoa negra que estava na propaganda da agência. De acordo com o Boletim de Ocorrência, a mulher também teria dito que ele deveria estar na senzala.
“Ela começou a fazer insultos e perguntei o que houve. Ela disse: você é um negro bandido, você é um negro safado”, conta o homem sobre as agressões.
A mulher chegou a ficar detida na carceragem da Central de Polícia Civil, mas foi liberada após pagar uma fiança de R$ 350. Ela vai responder em liberdade pelo crime de injúria racial. O G1 tentou contato com ela, mas não teve retorno.
De acordo com o delegado Pedro Ivo, a mulher ainda não prestou depoimento porque no momento do flagrante ela estava descontrolada.
Daniel trabalha como guia turístico e bugueiro nas praia do Litoral Sul da Paraíba. “Todo mundo tem o sangue vermelho, somos seres humanos, temos família, a gente chora, sente dor”, declara Daniel.
Vídeos mais assistidos do G1 Paraíba
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.