NBA no ND: Conheça as 20 primeiras escolhas do Draft 2020

A noite do Draft, que aconteceu na última quarta-feira (18), serve para as equipes escolherem os seus calouros, os atletas que vem do basquete universitário para compor os elencos das franquias da NBA. Por conta disso, o ND+ apresenta as 20 primeiras escolhas para conhecer melhor quem pode brilhar nos próximos anos da principal liga de basquete do mundo – Foto: Divulgação/NBA/ND

1ª – Minnesota Timberwolves: A primeira escolha deste draft 2020 é o armador, de 19 anos, Anthony Edwards. Nos tempos da Universidade da Geórgia, o armador contou com médias de 19.1 PPJ (pontos por jogo), 5,2 rebotes e 2,8 assistências. Além de ser um jogador atlético, com 2,06 metros, Edwards conta com boa envergadura, mobilidade, muita força e impulsão. Por outro lado, precisa melhorar sua seleção de arremesses e consistência, ou seja, diminuir suas “noites ruins” em quadra – Foto: Reprodução/Instagram/ND

2ª – Golden State Warriors: James Wiseman, ex-universidade de Memphis, é um gigante pivô de 2,29 metros, e tem como características seu poder de atacar o aro, completar pontes aéreas e potencial na busca pelos rebotes. Suas médias são de 19,7 pontos e 10,7 rebotes por jogo na Universidade. No entanto, Wiseman tem como um ponto de “desconfiança” seu arremesso e no passe de bola, que precisam melhorar. Para isso, poderá contar com o auxílio de um dos melhore arremessadores da história, Sthephen Curry. – Foto: Reprodução/Instagram/ND

3ª – Charlotte Hornets: Um dos mais badalados e cotados para ser a primeira escolha deste draft, LaMello Ball, irmão de Lonzo Ball – jogador do New Orleans Pelicans – atuava no basquete australiano. Como ponto forte tem sua capacidade de criar jogadas. Porém, o armador deixa muito a desejar na parte defensiva da quadra – Foto: Reprodução/Instagram/ND

4ª Chicago Bulls: A escolha do ala-pivô Patrick Williams pegou todos de surpresa na noite desta quarta-feira (18), já que se esperava que o Bulls draftasse o ala Deni Avdija. Porém, Patrick Williams, de 2,11 metros, tem facilidade para arremessar em movimento e conta com médias de 9,2 pontos e 4 rebotes por jogo. Além disso, fica o destaque para o bom aproveitamento na linha de três pontos. Assim como uma boa capacidade de antecipar as jogadas no campo defensivo. Com apenas 19 anos, pesa ao seu lado a pouca idade, o que pode ser ruim para uma equipe como o Bulls, que precisa de jogadores para chegar e fazer a diferença, – Foto: Reprodução/Instagram/ND

5ª Cleveland Cavaliers: A escolha do Cavs ficou para o ala-armador Isaac Okoro, de apenas 19 anos, e é um típico jogador do basquete moderno. Isso porque, além dos seus 2,05 metros, conta com uma boa explosão, é forte e ágil. Além disso, apresenta um bom QI para jogadas defensivas. Diferente de alguns exemplos, Okoro terá que melhorar seu poder ofensivo, mas que a experiência e anos na liga irão, possivelmente, transformá-lo em um grande jogador – Foto: Reprodução/Instagram/ND

6ª Atlanta Hawks: Um dos melhores pivôs da classe, Onyeka Okongwu pode apresentar um impacto imediato na defesa de aro, por exemplo, com boas trocas e marcação. Além dos 2,18 metros, o “Big” de 111kg destaca-se por suas boas decisões nas jogadas e passes. Porém, precisa melhorar sua mecânica e desenvolver seu arremesso fora do garrafão – Foto: Reprodução/Instagram/ND

7ª Detroit Pistons: O armador Francês Killian Hayes pode ser uma das grandes surpresas desta classe. Entre suas características, está a grande capacidade de pick´n roll, movimento ofensivo semelhante ao “falso corta luz”. Além disso, conta com um aproveitamento superior de 80% em toda sua carreira em lances livres e grande teto para evoluir nos arremessos da linha de três. O armador também demonstrou uma grande evolução na parte defensiva na quadra, principalmente, no duelo um contra um – Foto: Reprodução/Instagram/ND

8ª New York Knicks: O pivô Obi Toppin, de 22 anos, tem como características o bom trabalho de pés e finalização ao redor do aro, qualidades fundamentais para a posição. O alerta fica por conta da sua deficiência no setor defensivo, fazendo com que o restante da equipe precise de “desdobrar” ele está em quadra – Foto: Reprodução/Instagram/ND

9ª – Washington Wizards: O esperado do torcedor do Chicago Bulls: Deni Avdija. O armador israelense tem potencial para chegar e contribuir com o seu talento, mesmo com 19 anos, já que ganhou destaque e foi MVP da liga de Israel. Em quadra, o armador demonstra ser um jogador muito inteligente, em ambos os lados da quadra, e com ótimas leituras defensivas, além de um bom posicionamento. O lado negativo fica por conta do seu físico – precisará evoluir para jogar NBA – e seu arremesso, mas nada que deixe em dúvida o seu talento de contribuir imediatamente – Foto: Reprodução/Instagram/ND

10ª Phoenix Suns: O ala-pivô Jalen Smith tem como grande característica sua boa presença para proteger e atacar o aro, com média de 10,5 rebotes por jogo e 2,4 tocos. Isso pode se considerar pela capacidade do atleta de 2,08 metros em usar as duas mãos para controlar a boal e realizar bandejas. Porém, apresenta uma baixa mobilidade e dificuldade para desenvolver o espaçamento vertical – Foto: Reprodução/Instagram/ND

11ª San Antonio Spurs: Devin Vassel é um ala-armador que permite elevar o nível no lado defensivo da quadra – 1,4 roubos de bola – e um grande potencial de leitura para ficar bem posicionado. Além disso, é um dos arremessadores de média/longa distância mais confiáveis do recrutamento. O ponto negativo fica pelo seu atleticismo e agressividade ao aro – Foto: Reprodução/Instagram/ND

12ª – Sacramento Kings: O seu desenvolvimento no college faz do armador, de 20 anos, uma das opções mais “confiáveis” para um efeito imediato em uma franquia, já na próxima temporada, no mínimo, contribuindo para a rotação.  Como ponto positivo, tem sua visão de jogo, movimentação sem a bola nas mãos e antecipação de jogadas. Porém, sua habilidade de criar jogadas para pontuar em meia-quadra é um dos pontos no qual Tyrese Haliburton precisa evoluir nos treinamentos – Foto: Reprodução/Instagram/ND

13ª New Orleans Pelicans: Kira Lewis Jr. É um dos armadores mais jovens desta classe, com apenas 19 anos. Entre os pontos fortes, fica a sua velocidade de transição e o arremesso saindo do drible. Porém, seu arremesso precisa seguir evoluindo nos arremessos e passadas de bola, assim como na parte tática do setor defensivo da quadra – Foto: Reprodução/Instagram/ND

14ª Boston Celtics: O ala-armador deixou os torcedores dos Celtics animados, já que Aaron Nesmith é considerado um arremessador de elite desta classe – com aproveitamento de 51,2% nos arremessos de quadra e 52,2% nas bolas de três – , e a franquia verde e branca sofreu com a falta de opções no banco duramente os playoffs. O ponto negativo fica por conta do seu desenvolvimento no setor defensivo da quadra e não se move bem lateralmente – Foto: Reprodução/Instagram/ND

15ª Orlando Magic: Cole Anthony era cotado para sair nas três primeiras escolhas do draft, mas a temporada decepcionante em North Carolina fez colocar em dúvida o potencial do armador. No entanto, é uma boa aposta para a franquia de Orlando, principalmente, pensando em um armador para que venha do banco. O ponto positivo fica por conta da sua qualidade defensiva, mas ainda é necessário melhorar na explosão e na criação de chances para arremesso – Foto: Reprodução/Instagram/ND

16ª Detroit Pistons: Isaiah Stewart é um pivô com muita força física e que pode auxiliar na busca por espaços dentro do garrafão, tanto para receber passes, finalizar ou buscar rebotes. Já nos pontos negativos, fica no seu desenvolvimento na parte defensiva, seja para limitar espaços verticais ou bloquear pivôs adversários – Foto: Reprodução/Instagram/ND

17ª Oklahoma City Thunder (via Wolves): O ala-pivô Aleksej Pokusevski, sérvio, de 18 anos, não deve ser uma opção para o curto prazo. No entanto, é uma das escolhas mais misteriosas desta classe, já que vem demonstrando uma grande qualidade no Olympiacos (GRE). Com 2,21 metros, Poku apresenta uma boa movimentação e agilidade para o seu tamanho, assim com um jogo de perímetro bem desenvolvido. No ponto negativo, fica seu físico, já que é muito franzino, e também o foco para seguir nas jogadas até o fim – Foto: Reprodução/Instagram/ND

18ª Dallas Mavericks:  O ala-armador Josh Green é uma das melhores opções defensivas da classe. O australiano de 19 anos conta com uma boa movimentação lateral, velocidade e impulsão para realizar um ótimo trabalho defensivo no perímetro. A dúvida fica pelo seu desenvolvimento no setor ofensivo, já que demonstrou uma média menor de 3 tentativas por partidas na linha de três, o que não se pode levar muito em consideração para a avaliação – Foto: Reprodução/Instagram/ND

19ª Detroit Pistons: Saddiw Bey é considerado um dos melhores arremessadores da classe, com uma média de 42% na linha de três, e conta com 2,03 metros de altura ao seu favor. No entanto, o ala-pivô apresenta dificuldade ao se mover lateralmente e no duelo um contra um, – Foto: Reprodução/Instagram/ND

20ª Miami Heat: Não menos intrigante, Precious Achiuwa é um ala-pivô que apresenta um bom atleticismo, força física e agilidade. Além disso, uma boa opção para lutar pelos rebotes, seja defensivo ou ofensivo. No entanto, pode ser considerado um jogador com “muita vontade” e pode cometer erros bobos por conta disso. Assim como também vai precisar melhorar seu arremesso, até mesmo no lance livre. – Foto: Reprodução/Instagram/ND

Tags , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.