O líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP-PR)

O líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP-PR), afirmou à CNN, que a Reforma Tributária será discutada “em outro momento” pois ainda não houve acordo em torno da questão.

“Nós vamos votá-la, mas eu preciso de votos. Não vamos para uma votação na qual sei que não temos maioria para aprovar. Continuaremos trabalhando e construindo um texto consensual”, disse ele, que acrescentou que ‘não tem reforma tributária enterrada’. “Não tenho dúvidas de que será votada”, disse.

O parlamentar também disse que o Renda Cidadã irá respeitar o teto de gastos. Segundo o projeto, os recursos devem vir dos recursos destinados ao pagamento de precatórios e de parte dos novos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), além do que já está reservado no orçamento para o Bolsa Família. Essa combinação será apresentada na Proposta de Emenda Constitucional (PEC) Emergencial.

O líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP-PR)

“Estamos fazendo rigorosamente dentro do teto a aplicação dos recursos do Renda Cidadã, e a parte do Fundeb já está ressalvada do texto e foi esse trecho que foi aprovado anteriormente”, disse.

A ideia Renda Cidadã é ajudar os milhões de brasileiros que precisam de apoio financeiro com o fim do auxílio emergencial, a partir de janeiro. A notícia foi antecipada na manhã desta segunda-feira (28), pelo colunista Igor Gadelha, da CNN.

De acordo com Barros, o senador Márcio Bittar (MDB-AC) deve entregar o texto já na terça-feira (29). “Acredito que deve entregar amanhã [ao Congresso], ou assim que ele concluir”, disse.

Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”