Operação em Resende apreende mais 30 mil aparelhos para acesso clandestino a canais de TV


Ação é parceira entre a Receita Federal e as polícias Civil e Federal. Na semana passada, 70 mil aparelhos já tinham sido confiscados em Itaguaí, Nova Iguaçu e Resende. Mais 30 mil aparelhos são apreendidos em Resende
Silvio Seixas/TV Rio Sul
Uma operação conjunta entre a Receita Federal e as polícias Civil e Federal apreendeu nesta quarta-feira (14) mais de 30 mil aparelhos de “TV Box” no Porto Seco de Resende, no Sul do Rio de Janeiro.
Segundo a polícia, o “TV Box” é um aparelho usado para acessar de forma clandestina canais de televisão. A prática viola regras de direitos autorais e é crime contra a propriedade imaterial, além de contrabando.
Os equipamentos foram encontrados em seis contêineres abertos durante a vistoria dos agentes.
Aparelhos foram encontrados dentro de contêineres
Silvio Seixas/TV Rio Sul
“Esse material é procedente da China e chegou pelo Porto de Itaguaí. Parte desse material veio para Resende. Acreditamos que ele seria destinado ao comércio local do Rio de Janeiro, no estado de São Paulo e Minas Gerais”, explicou Ewerson Augusto da Rocha Chada, chefe da Divisão de Repressão ao Contrabando e Descaminho da Receita Federal.
Para chegar aos carregamentos, foi feito o cruzamento de informações de inteligência entre a Coordenadoria de Recursos Especiais da Polícia Civil, a Divisão de Repressão ao Contrabando e Descaminho da Receita Federal e a Polícia Federal.
A operação dá continuidade a uma apreensão feita na semana passada, quando mais de 70 mil aparelhos foram confiscados no Porto de Itaguaí e nos Portos Secos de Nova Iguaçu e de Resende.
O uso de TV Box passou a ser conhecido, de acordo com investigadores, como o “novo gatonet”.
“Esse material é vendido pelo comércio popular, também é vendido através de sites, pelo comércio eletrônico. O perfil de compradores são pessoas que querem pagar um serviço mais barato. Nós identificamos que quem normalmente opera com esse tipo de material também faz parte de organizações criminosas, que operam com outros crimes”, disse Ewerson Chada.
A polícia comunicou que, para a Receita Federal do Brasil, esta é a maior apreensão da história do país em relação a aparelhos deste tipo.
A previsão é que mais apreensões aconteçam durante a semana. “Não houve prisão. Toda a investigação está sendo concluída pela Receita Federal para ser encaminhada aos órgãos de polícia, para que seja feita a perseguição penal”, concluiu Ewerson Chada.
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.