Países da Europa adotam novas restrições para conter o avanço da Covid

O presidente da Polônia testou positivo para o novo coronavírus. Na França, o presidente Emmanuel Macron alertou que a população vai conviver com o vírus até pelo menos meados do ano que vem. Número de casos aumenta em vários países da Europa e governos anunciam mais restrições
O número de casos de Covid-19 está crescendo em vários países da Europa, e mais governos estão impondo restrições. Na Polônia, o presidente testou positivo para o novo coronavírus.
Anjay Duda pediu desculpas a todas as pessoas que vão precisar ficar em quarentena porque tiveram contato com ele nos últimos dias. Entre elas, a tenista Iga Swiatek, vencedora do Aberto da França, que recebeu uma medalha do presidente na sexta-feira (23).
Duda disse que se sente bem e vai continuar trabalhando à distância.
Poucos meses atrás, a Polônia era considerada um exemplo no combate à pandemia. Agora, faltam leitos para doentes graves. E o maior estádio do país está sendo transformado em um hospital temporário.
A República Tcheca é outro país do leste europeu que conseguiu evitar o pior no início da pandemia, mas agora sofre com a maior taxa de contágio no continente e voltou a impor um lockdown nacional.
Na França, o presidente Emmanuel Macron alertou que vamos conviver com o vírus até, pelo menos, meados do ano que vem.
No Reino Unido, o País de Gales começou um novo confinamento para limitar a socialização e conter a segunda onda de contágios. Durante 17 dias, os moradores precisam ficar em casa. Só farmácias e supermercados continuam abertos, mas eles foram proibidos de vender itens considerados não essenciais.
Nas redes sociais, consumidores questionaram por que podem comprar vodka e decorações de natal, mas não roupas de bebê e livros, por exemplo.
A falta de coerência fez mais de 35 mil pessoas participarem de um abaixo-assinado para derrubar a proibição.
O governo diz que a medida é para limitar o tempo que as pessoas passam dentro das lojas.
Em Londres, manifestantes – muitos sem máscara e sem respeitar o distanciamento social – marcharam pelo centro da cidade pedindo o fim das medidas de combate à Covid.
Pelo menos dez pessoas foram detidas e a polícia dispersou a aglomeração, proibida em tempos de pandemia.
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.