Para polícia, influencer de Joinville que sugeriu estimulante sexual fez apologia ao crime

A Polícia Civil de Joinville encerrou, na tarde desta sexta-feira (16), o termo circunstanciado instaurado para apurar a conduta do influenciador digital Fabrício dos Santos Simão, de 28 anos. Ele virou alvo de investigação após publicar um vídeo na internet sugerindo colocar um estimulante sexual no copo de mulheres, favorecendo, assim, a prática do ato sexual.

Fabrício dos Santos Simão prestou depoimento nesta sexta-feira (16) e procedimento deve ser encaminhado ainda no fim de semana à Justiça – Foto: Alphonsus Stofelli/NDTV

O influencer foi ouvido no início da tarde desta sexta-feira. Ele chegou com um amigo e preferiu não se manifestar.

Embora não tenha dado detalhes do depoimento, a delegada Claudia Cristiane Gonçalves de Lima, afirmou que o procedimento deve ser encaminhado à Justiça neste fim de semana.

“O que ele falou é sigiloso, o procedimento é todo sigiloso. É uma questão de interpretação e, para a polícia, o caso pode se enquadrar no artigo 287 do Código Penal, que trata de apologia pública à prática de um crime. Na visão da polícia houve crime sim”, explica.

O produto divulgado é feito a base de extrato de guaraná, catuaba e taurina. Para a delegada, o influenciador não teve a intenção de falar em “dopar alguém”. “Até porque se ele estava fazendo a propaganda do produto, ele sabia que não era um boa noite cinderela, mas que muda o estado da pessoa”, diz.

No entanto, após o encaminhamento do procedimento à Justiça, a interpretação do Ministério Público pode ser diferente e alterar a classificação de crime. A pena para a apologia pública à prática de crimes é de detenção que varia de três a seis meses ou multa.

Tags , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”