Para tentar frear pandemia, França anuncia lockdown e Alemanha impõe bloqueio parcial

Emmanuel Macron anunciou bloqueio nacional de quatro semanas a partir de sexta (30) e afirmou que a segunda onda de Covid deve ser mais mortal do que a primeira. Na Alemanha, o governo estabeleceu um bloqueio parcial de quatro semanas a partir de segunda (2). França decreta a volta do lockdown para conter aumento de Covid
A França anunciou nesta quarta-feira (28) um novo lockdown para frear a expansão da pandemia.
Nem os franceses mais pessimistas previram essa velocidade de contágio. O presidente francês explicou que mais de 70% das UTIs agora são de pacientes de Covid. “Seria inaceitável ter que escolher quem vai receber tratamento”, disse Emmanuel Macron.

Macron também argumentou que, se deixar as pessoas pegarem o novo coronavírus, haveria 400 mil mortes a mais na França. Ele preferiu um bloqueio nacional de quatro semanas a partir de sexta (30), metade do confinamento do primeiro semestre. As pessoas só vão poder sair de casa por motivos essenciais e para uma hora de exercício. Escolas continuam abertas e universidades, só online.
Macron afirmou que a segunda onda deve ser mais mortal do que a primeira. Ele disse que a França e todos os vizinhos estão submersos pela doença, incluindo a Alemanha, que estabeleceu um bloqueio parcial de quatro semanas a partir de segunda (2). As lojas não vão fechar, mas os bares e restaurantes vão, assim como na França. Os alemães só vão poder se encontrar com pessoas de uma casa diferente.

O governo vai bancar 75% das perdas de pequenas e médias empresas e 70% das grandes. A primeira-ministra assumiu que o bloqueio é uma pílula amarga, mas eficaz. Ainda não há remédio melhor.

Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.