Pelo segundo dia seguido, Belo Horizonte tem céu coberto por fumaça de incêndios


De acordo com Inmet, paisagem é resultado da secura da atmosfera e da fumaça por causa dos incêndios florestais na Região Metropolitana. Focos de incêndio e poluição causam mais um dia cinza na região metropolitana
Pelo segundo dia seguido, Belo Horizonte amanheceu coberta de fumaça de incêndios. Na manhã desta terça-feira (29), uma névoa branca, provocada pelas chamas que atingem vegetações da região metropolitana e pela baixa umidade relativa do ar, voltou afetar a cidade.
As cidades de Santa Luzia, Ibirité e Nova Lima também sofreram com a fumaça. Segundo os bombeiros, da 0h até as 11h desta terça-feira, foram atendidas pelos menos 29 ocorrências de incêndio na região metropolitana.
Belo Horizonte amanhece coberta por fumaça de incêndios
Reprodução/TV Globo
Só nesta segunda-feira (28), entre 0h e 15h, foram registrados 60 incêndios florestais em Belo Horizonte e em cidades vizinhas, uma média de quatro ocorrências por hora.
De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o material fica em suspensão na atmosfera e quando os raios solares batem nesses partículas, o céu fica cinza.
Recorde de calor
Belo Horizonte registrou recorde de calor em 2020 nesta segunda-feira (28), na região da Pampulha. Segundo o Inmet, os termômetros marcaram 37,3º C entre 13h e 14h.
A temperatura mais alta até então, em 2020, tinha ocorrido no 19 de setembro, quando os termômetros marcaram 34,9 ºC na capital.
“Pra essa semana, a condição é de muito calor e com temperaturas muito elevadas, acima dos 35 ºC aqui na capital”, disse o meteorologista Lizandro Gemiack.
Veja vídeos dos incêndios na Amazônia:
Focos de incêndio e poluição causam mais um dia cinza na região metropolitana
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.