Pequim pede que importador de alimento congelado evite países com pandemia de coronavírus severa


Governo local também pediu às empresas para que melhorem seus mecanismos de alerta e informem às autoridades rapidamente se os produtos testarem positivo. Pescados azuis são ricos em ácido graxo ômega-3, nutriente relacionado a uma menor deterioração cognitiva
Unsplash
A capital da China pediu a importadores nesta segunda-feira que evitem alimentos congelados de países que sofrem de surtos severos de coronavírus, após vários casos de produtos de frutos do mar importados, inclusive do Brasil, com teste positivo para o vírus.
“A alfândega e os governos locais detectaram repetidamente o coronavírus em alimentos importados da cadeia de congelados, provando que há risco de contaminação”, disse o Departamento Municipal de Comércio de Pequim em comunicado emitido para empresas importadoras.
O órgão pediu às empresas que monitorem de perto a situação da pandemia no exterior e “evitem proativamente a importação de alimentos da cadeia de congelados de áreas fortemente atingidas pelo coronavírus”, promovendo planos alternativos para as importações.
O departamento de governo também pediu às empresas para que melhorem seus mecanismos de alerta e relatórios e informem às autoridades rapidamente se os produtos testarem positivo.
A China não relatou nenhuma infecção local do coronavírus por mais de um mês, mas recentemente o vírus foi detectado na embalagem de frutos do mar importados na província de Jilin e na cidade de Qingdao.
A China suspendeu neste mês as importações de produtores de frutos do mar do Brasil, Indonésia e Rússia por uma semana ou mais devido ao que alegou serem testes positivos para o coronavírus.
Coronavírus na embalagem
A China vai parar de aceitar pedidos de importação da empresa brasileira Monteiro Indústria de Pescados Ltda por uma semana, entre os dias 26 de setembro e 03 de outubro, depois que um pacote de peixe congelado deu positivo para o coronavírus, disse a alfândega chinesa na sexta-feira (25).
Após esse prazo, porém, a autorização para a companhia exportar para o país será reativada automaticamente, afirma o Ministério da Agricultura do Brasil.
A detecção de Covid-19 na embalagem ocorreu no porto de Huangpu, na cidade de Guanzhou, província de Guandong (Cantão). Na semana passada, o país suspendeu as importações de um produtor de frutos do mar da Indonésia.
“Foram coletadas, de forma aleatória, 19 amostras de pescados, mas em apenas uma delas, especificamente na embalagem primária, foi detectado o vírus. Não houve, no entanto, a liberação de laudo laboratorial pelas autoridades chinesas”, diz o ministério brasileiro.
“O lote referente à detecção será destruído, porém os demais foram liberados. Não haverá a suspensão do estabelecimento”, reforça o Ministério da Agricultura.
A exportação de pescados do Brasil à China gira em torno de US$ 70 milhões por ano, com chineses e norte-americanos alternando como os maiores destinos do produto do país, cujos embarques totais são estimados em 300 milhões de dólares em 2020.
VÍDEOS: mais notícias do agronegócio
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”