Período de defeso proíbe pesca e protege reprodução natural de 21 espécies por 4 meses no AP; LISTA


Medida entrou em vigor no domingo (15) e segue até 15 de março de 2021. Quem descumprir, está sujeito a multa, que pode ultrapassar R$ 100 mil. Pirarucu é uma das espécies protegidas pelo período de defeso
Divulgação/Sema
Passou a valer no Amapá o período de defeso, que protege a reprodução natural de uma série de espécies no rios do estado. A medida, que iniciou no domingo (15), segue até 15 de março de 2021, tendo duração de 4 meses – com exceção da gurijuba, que começou a ser protegida um mês antes (confira a lista das espécies protegidas no fim desta reportagem).
Segundo o Instituto de Desenvolvimento Rural do Amapá (Rurap), caso os peixes sejam comercializados durante o defeso, o responsável pode pagar uma multa que varia entre 1 e 100 salários mínimos (ou seja, entre R$ 1.045 e R$ 104 mil, este ano).
Na “piracema”, como também é conhecido o período, só é permitida a pesca para alimentação familiar: até 5 quilos de peixe para pescadores amadores ou profissionais, com varas de pescar ou linha à mão; já para as comunidades ribeirinhas, esse número sobe para 10 quilos de pescado por núcleo familiar.
Edson França, diretor-técnico da Rurap
Carlos Alberto Jr/Arquivo G1
De acordo com o diretor técnico de Pesca e Aquicultura do Rurap, Edson França, empreendedores que criam peixes em cativeiro precisam de documentação que comprovem a origem do pescado para não correrem o risco de serem multados.
“O piscicultor que tiver a criação de algum desses peixes deve procurar a Diagro [Agência Defesa e Inspeção Agropecuaria do Amapá] para tirar a guia de transporte animal, onde você passa a ter a procedência desse animal que está em proibição, mas pode ser comercializado normalmente”, frisou.
Período de defeso visa garantir a reprodução dos peixes no Amapá
Phillippe Gomes/Secom/Divulgação
Enquanto o período da piracema estiver em vigor, garante o gestor, os pescadores cadastrados podem receber o seguro defeso, referente a um salário mínimo para cada mês de restrições. Quem pesca a gurijuba, pode receber por 5 meses, já que o período de proteção dessa espécie é prolongado.
A medida de proteção para o período de quatro meses foi estabelecida para todo o país pelo Ministério do Meio Ambiente.
Confira as espécies protegidas:
apaiari
aracu
aruanã
branquinha
curimatã
gurijuba
jeju
mapará
matrinchã
nujá
pacu
pescada branca
piau
piranha
pirapitinga
pirapema
pirarucu
sardinha
tamoatá
traíra
tambaqui
Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá
ASSISTA abaixo o que foi destaque no AP:
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.