PF investiga desvio de R$ 60 milhões em esquema com empréstimos consignados em Corumbá


A ação investiga um esquema de desvio de recursos públicos entre 2008 e 2013. Policiais federais cumpriram mandados em Campo Grande e Corumbá nesta quinta-feira
PF/Divulgação
A Polícia Federal cumpre na manhã desta quinta-feira (15), sete mandados de busca e apreensão em Corumbá e Campo Grande, na operação Cornucópia II. A ação investiga um esquema de desvio de recursos públicos dentro da prefeitura de Corumbá entre 2008 e 2013, envolvendo empréstimos consignados.
Segundo a PF, o esquema de desvio consistia no aumento aumento ilegal da folha de pagamento de servidores cooptados pela organização criminosa, o que gerava aumento na margem para contratação de empréstimos consignados.
Os empréstimos eram aprovados e, posteriormente, os valores eram sacados na rede bancária e repassados à cúpula da organização criminosa, gerando prejuízo cofres públicos. A equipe de investigação apurou que o montante obtido ilegalmente tenha alcançado mais de R$ 60,6 milhões.
Os alvos da operação responderão pelos crimes de peculato e associação criminosa.
Nome da ação
De acordo com a PF, o nome da operação Coronucópia é uma alusão a ao símbolo da abundância na mitologia grega e faz referência riqueza supostamente obtida pelos envolvidos, além da abundância de recursos públicos disponibilizados de forma ilícita.
Operação Cornucópia I
Na operação cornucópia I, foi indiciada a cúpula da organização criminosa. À época, houve prisões preventivas, o IPL foi relatado e instaurou-se a Operação Cornucópia II, cujo principal objetivo foi o sequestro de bens para ressarcir o erário, bem como como investigar outros 101 servidores que foram cooptados pelo grupo para realizarem os consignados, estes todos indiciados na Cornucópia II.
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”