Polícia Civil do DF investiga morte de três cães por envenenamento, no Lago Sul


Desde agosto, quatro animais apresentaram sintomas de ingestão de veneno; um cão da raça doberman sobreviveu e ficou com sequelas. Casos foram registrados como maus-tratos. Animais da raça doberman foram envenenados, no Lago Sul
Arquivo pessoal
A Polícia Civil investiga a morte de três cachorros, no Distrito Federal, por suposto envenenamento. Os animais viviam na QL 24 do Lago Sul. O caso foi registrado, nesta quinta-feira (19), como maus-tratos.
Segundo os moradores, desde agosto pelo menos quatro cães apresentaram sintomas como “vômito, baba e tremedeira” – semelhantes à de ingestão de veneno. Apenas um dele, da raça doberman, sobreviveu e ficou com sequelas. O caso mais recente ocorreu em outubro.
Testemunhas contaram à polícia que, após as mortes suspeitas, foram encontrados bolos de carne na porta de uma das casas. Segundo a corporação, o material passará por análise em laboratório.
Maus-tratos: agressores de animais serão obrigados a custear despesas veterinárias, no DF
Homem é preso no DF por matar pit bull a facadas após animal atacar cão da raça shih-tzu
Polícia Civil do DF investiga morte de shih tzu, por envenenamento, no Lago Sul
Arquivo pessoal
A advogada Ana Paula de Vasconcelos – que registrou o caso na delegacia – conta que os donos dos cães perceberam “alterações neurológicas” nos bichos, como perda da capacidade de locomoção.
“Os animais que morreram foram submetidos à necropsia que confirmou a morte por envenenamento”, afirma, Ana Paula, que também está à frente do Fórum Animal e é vice presidente da Comissão de Direito dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Taguatinga.
O envenenamento de animais é considerado crime de maus-tratos. A pena mínima prevista para os agressores é dois anos anos de reclusão (veja detalhes abaixo). Segundo a Polícia Civil, câmeras de segurança serão usadas para identificar os autores.
‘Denúncias salvam vidas’
A advogada afirma que é importante denunciar os casos. As “denúncias salvam vidas”, disse. “Infelizmente esses [cachorros] já se foram, e o que a gente pode fazer é buscar por justiça”.
“Se ficar provada a autoria do crime, o acusado poderá ser condenado a mais de nove anos de prisão, isso se considerarmos a pena mínima para cada um dos crimes com o agravamento pela morte dos animais.”, explica.
Pena mais rígida para casos de maus-tratos
Lei aumenta punição para maus-tratos a animais
Desde o dia 28 de outubro, estão em vigor no DF novas leis que tornam mais rigorosa a punição por maus-tratos contra animais.
Os infratores passaram a ser obrigados a “custear ou arcar com as despesas veterinárias decorrentes de qualquer lesão sofrida pelo animal nas hipóteses de atropelamento e violência em geral”.
Agressores também serão impedidos de ter a tutela de qualquer animal, por um período de três a cinco anos, em caso de ofensa à integridade física. Uma lei federal, sancionada em setembro, estabelece pena de dois a cinco anos de reclusão para quem praticar atos de abuso, maus-tratos ou violência contra cães e gatos.
Vizinho flagra cadela sendo agredida e dona de animal é presa no DF
Homem é condenado por agredir e matar cachorro da namorada
Em setembro, uma lei federal havia estabelecido a pena de dois a cinco anos de reclusão para quem praticar atos de abuso, maus-tratos ou violência contra cães e gatos. O texto também prevê multa e proibição da guarda para quem praticar os atos.
Como denunciar maus-tratos?
As denúncias de maus-tratos a animais no DF podem ser feitas pelo telefone 162 ou pelo site da Ouvidoria do GDF.
A Delegacia Especial de Proteção ao Meio Ambiente (Dema) também pode ser acionada pelo número 197, pelo WhatsApp — (61) 98626-1197 — ou pelo e-mail denuncia197@pcdf.df.gov.br.
Outra opção é o Batalhão Ambiental da Polícia Militar, que atende 24 horas pelo telefone (61) 3190-5190 e pelo WhatsApp (61) 99351-5736.
Veja vídeos da série Bem Bicho
Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.