Polícia procura suspeitos de participar da morte de homem queimado em fogueira no quintal de casa em Porto Velho


Crime teria ocorrido por vingança após uma suposta entrega de um foragido à Justiça. Suspeitos devem responder por homicídio e ocultação de cadáver. Ossada foi encontrada em casa do bairro Socialista, em Porto Velho.
Google Maps/Reprodução
A Polícia Civil procura um homem e uma mulher suspeitos de participação na morte de um homem que foi jogado em uma fogueira no início do mês em Porto Velho. Na quinta-feira (15), agentes da delegacia de Homicídios prenderam uma mulher que também estaria envolvida no crime. A ossada da vítima foi encontrada no local no início deste mês.
De acordo com a polícia, as investigações apontaram o envolvimento de várias pessoas na execução. A perícia deve indicar se a vítima morreu com as pauladas que recebeu ou por conta do fogo.
Além de uma mulher já presa, os suspeitos Harisson Pinheiro e Ana Claudia Mesquita foram identificados. A Justiça determinou as prisões pedidas pelo delegado André Tiziano, responsável pelo caso.
A mulher presa foi ouvida e confessou ter participado do crime. Ela também confirmou a identificação do homem que havia sido apontada pela polícia. Apesar dos indícios, a identificação oficial da vítima ainda depende de exames, já que não foi possível reconhecimento visual.
Após o desaparecimento da suposta vítima, um jovem de 28 anos, o pai ficou sabendo de um corpo carbonizado encontrado e procurou a polícia. Ele sabia que o filho frequentava a casa onde ocorreu o crime. As investigações apontaram que a residência é conhecida por reunir usuários de drogas.
“Foi extraído material biológico desse senhor, que seria o pai e está no Instituto de DNA um processo de comparação com aqueles restos mortais para a gente ter a certeza (da identidade da vítima)”, explicou o delegado.
A motivação do crime, conforme a polícia, seria vingança. De acordo com o delegado, o morador da casa onde aconteceu o homicídio, conhecido como “Grande”, tinha condenação por tráfico de drogas e um mandado de prisão aberto contra ele. No dia anterior ao caso, a Polícia Militar (PM) fez uma revista no local e prendeu o morador.
“As pessoas que foram executoras do crime creditaram essa prisão do dono da casa a esse rapaz, como se ele tivesse noticiado à polícia que ele (o Grande) era foragido da Justiça”, disse Tiziano.
As informações sobre a localização de Harisson Pinheiro Lobo e Ana Claudia Mesquita podem ser repassadas à Polícia Civil pelos número 190 e 197. Eles podem responder por homicídio e ocultação de cadáver.
Há outros envolvidos no crime, mas as prisões não foram decretadas porque ainda não estavam identificadas no momento do pedido do delegado à Justiça. As defesas dos foragidos não foram localizadas.
Entenda o caso
No dia 2 de outubro, a polícia foi informada de que um corpo estaria sendo queimado no quintal de uma casa no bairro Socialista, Zona Leste de Porto Velho, e os agentes confirmaram que se tratava de restos mortais humanos.
Uma testemunha contou que foi limpar a casa do filho, que havia sido preso no dia anterior quando viu uma fogueira no quintal e em meio ao fogo, um crânio e ossadas.
Ainda conforme a ocorrência, uma outra testemunha relatou que algumas pessoas chegaram na casa agredindo um homem com pauladas no meio da semana.
Veja mais notícias do G1
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.