Policiais fecham garimpo ilegal de diamantes em Arenópolis


Duas pedras de diamantes e uma pepita pequena de ouro foram encontradas no acampamento, montado há cerca de 20 dias às margens do rio Caiapó. PM encontra garimpo de diamente irregular em Arenópolis
Policiais militares do grupamento ambiental fecharam dois pontos de extração ilegal de diamantes em Arenópolis, no oeste de Goiás. Em dois acampamentos às margens do rio Caiapó, a polícia prendeu cinco homens em flagrante pela atividade exploratória irregular.
Os nomes dos garimpeiros não foram divulgados. Portanto, o G1 não localizou as defesas para se manifestarem sobre as prisões, que ocorreram na terça-feira (29).
Na mochila de um garimpeiro, a PM encontrou duas pedras de diamante. Em busca em um acampamento, foram localizadas armas de fogo, munição, uma pequena pepita de ouro e uma balança de precisão.
No segundo acampamento, foi apreendido mais munição, armas de fogo e pequenos pés de maconha. Segundo a PM, um homem apontado como gerente das operações admitiu que as árvores seriam para consumo próprio.
Apreensões feitas pela PM em Arenópolis, Goiás
Reprodução/TV Anhanguera
Diamante às margens de rio
Os garimpeiros encontraram diamantes às margens do rio Caiapó usando um equipamento conhecido como “draga de sucção” para extrair as pedras, o que é uma atividade irregular sem a devida licença ambiental.
O homem apontado como gestor do garimpo disse que coordenava as atividades no local há cerca de 20 dias. Ele admitiu à polícia não ter licença para extrair as pedras.
Mesmo há poucos dias garimpando, o homem informou que pagava uma porcentagem da produção para o proprietário da fazenda, além do combinado de R$ 1 mil por mês de aluguel pelos acampamentos.
Para cada garimpeiro, o homem disse que pagava 36% da produção. Os diamantes eram vendidos comumente para um fazendeiro de Jaupaci, a 214 quilômetros da capital.
VÍDEOS: Veja as últimas notícias de Goiás
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”