Produção de leite no estado cresce 11,6%, em 2019, e bate recorde em 45 anos, diz IBGE


Dados da Produção Pecuária Municipal foram divulgados nesta quinta (15). Pernambuco também se destacou na produção de ovos de galinha. Pernambuco bateu recorde de produção de leite, segundo IBGE
Reprodução/TV Globo
Pernambuco registrou, em 2019, um aumento de 11,6% na produção de leite, em relação ao ano anterior. Com 1,64 bilhão de litros, o estado atingiu o maior índice produtivo em 45 anos.
Os dados foram divulgados, nesta quinta (15), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no relatório sobre a Produção Pecuária Municipal (PPM).
Ainda segundo o IBGE, o estado também se destacou nacionalmente na produção de ovos de galinha e pelo aumento no rebanho de ovinos e caprinos.
Na produção de leite, Pernambuco ficou em nono lugar no Brasil e em segundo no Nordeste, atrás da Bahia. O estado é responsável por 3,1% de todo o produto que é colocado no mercado.
O valor de produção do leite chegou a R$ 1,2 bilhão. Esse setor foi o responsável por 52,8% da renda da pecuária no estado.
No total, foram ordenhadas 481 mil vacas em 2019, alcançando, assim, uma produtividade de 2,2 mil litros por vaca ao ano.
A maior parte do leite produzido no estado sai do Agreste Meridional e do Sertão. A cidade que mais produz leite em Pernambuco é Buíque, com 81 milhões de litros.
Em seguida, aparecem Itaíba (68 milhões de litros), Águas Belas (63 milhões de litros), Bom Conselho (61 milhões de litros) e Bodocó (52 milhões de litros).
Segundo o IBGE em Pernambuco, o resultado positivo teve influência do clima e do melhoramento genético do rebanho.
Além disso, destacou o instituto, foram tomadas medidas econômicas. Entre elas, estão a implantação da Câmara Setorial do Leite, o fim da isenção fiscal para empresas que importassem leite em pó e da antecipação do ICMS para empresas que adquirissem o produto de outro estado.
Pernambuco se destacou na produção de ovos de galinha
Reprodução/Globo
Ovos
Com relação aos ovos de galinha, o estado teve um aumento de 7% na produção, entre 2018 e 2019, chegando a 284 mil dúzias. Com o resultado, Pernambuco atingiu recorde e manteve o 6º lugar no ranking nacional, com 6,2% de participação na produção brasileira.
O valor de produção foi de R$ 1,1 bilhão, 14,1% a mais em relação a 2018 e o maior já computado desde o início da PPM, em 1974. Este é o segundo produto de origem animal mais importante da pecuária local, atrás apenas do leite.
O estado também está em 7º lugar no ranking brasileiro em quantidade de galinhas, com 15 milhões e 35 mil cabeças.
São Bento do Una, no Agreste, foi a quarta cidade brasileira com maior produção de ovos de galinha em 2019, com 89 mil dúzias, ou 31,4% do montante de todo o estado. O valor de produção que o produto trouxe para o município foi de R$ 312 milhões, ou seja, 27,8% do total o total.
Rebanhos
O IBGE apontou que Pernambuco atingiu, em 2019, o segundo maior rebanho de ovinos do Brasil, com 2,6 milhões de cabeças, atrás apenas da Bahia. O número de cabeças aumentou 10,9% entre 2018 e 2019, deixando o estado com 23% de participação nacional.
Petrolina, no Sertão, era, em 2019, o quarto município brasileiro com maior número de caprinos, com 264 mil cabeças.
Dos 20 municípios brasileiros com maior efetivo de caprinos, 11 eram pernambucanos. Entre os ovinos, Pernambuco teve o terceiro maior rebanho do país no ano passado, com 2,7 milhões de cabeças, um aumento de 15,1% em relação a 2018.
No total, o estado contava com 13,5% dos ovinos do Brasil e teve o maior aumento entre as unidades da federação em números absolutos, com 354 mil cabeças a mais.
Dormentes, no Sertão do São Francisco, tinha 252 mil cabeças, liderando no estado e despontando como a quinta cidade brasileira com maior efetivo. As cidades vizinhas de Petrolina e Afrânio também apareciam entre os dez municípios brasileiros com maior número de cabeças.
Camarão e peixe
Pernambuco teve, em 2019, R$ 188 milhões em valor de produção na aquicultura, um aumento de 1,6% em relação a 2018. No estado, o maior destaque no setor foi a criação de tilápia.
O estado foi o quinto maior produtor nacional, em 2019, com 19,8 mil toneladas do peixe, queda de 3,7% em relação ao ano retrasado. A unidade da federação ocupava o quarto lugar nacional em valor de produção, com R$ 128 milhões, respondendo por 68,1% do que a aquicultura rende no estado.
O outro produto de destaque na aquicultura pernambucana foi o camarão,. O valor de produção chegou a R$ 53 milhões, 28,4% do rendimento de todo o setor. O Nordeste foi responsável por 99,6% da carcinicultura brasileira e o estado alcançou, em 2019, o sexto lugar no ranking nacional da produção, com 2,6 mil toneladas.
O município de Goiana, na Mata Norte, foi o líder, com 1,4 mil toneladas, à frente das 463 toneladas de Itapissuma, que que subiu do 9º lugar em 2018 para o 2º no ano passado.
Sirinhaém e Recife também se destacaram, com 380 toneladas e 201 toneladas, respectivamente. Os números mostraram uma lenta recuperação do setor após a população de camarões do estado ter sido seriamente prejudicada pelo vírus da mancha branca, que reduziu a produção em 70% entre os anos de 2013 e 2014.
Produção agrícola de Pernambuco bate recorde de crescimento nos últimos 45 anos
Agricultura
Em 2019, a produção agrícola de Pernambuco cresceu 14,2%, em relação ao ano anterior. Nesse período, também foi registrado o maior aumento dessa atividade, em 45 anos, segundo o IBGE.
Esse resultado, o melhor desde 1974, foi puxado pela cana-de-açúcar e pela fruticultura, especialmente de uva, manga e banana (veja vídeo acima).
O valor da produção agrícola, nesse período, chegou a R$ 4,5 bilhões, atingindo um novo recorde na série histórica da Produção Agrícola Municipal (PAM).
As culturas de cana-de-açúcar, de uva, manga e banana lideram em toneladas colhidas. Elas, somadas, respondem a 73,8% do valor de produção dos cultivos realizados no estado.
VÍDEOS: G1 em 1 Minuto
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”