Projeto Social: universitários desenvolvem dispensers de álcool gel que dispensam o toque e os doam para hospitais de Imbituba e Tubarão

Um projeto social criado por cinco acadêmicos do curso de Engenharia Elétrica da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul), campus de Tubarão, promete ajudar na higienização da população, não somente durante a pandemia, ante a problemática dos dispensers de plástico que precisam de contato com o aparelho para a liberação do álcool gel ou detergentes.
É que o contato de várias pessoas com as superfícies pode ser suficiente para a proliferação de microrganismos como vírus e bactérias, inclusive do novo coronavírus. Orientados pela engenheira química e docente, Francielen Kuball, os alunos Eduardo Carvalho, Ismael Binhoti, José Vitor Kulkamp, Eduardo Mendes, Kelvin Bauman e Ruan Lock desenvolveram a solução para o problema, um dispenser com sensor de movimento. Basta aproximar as mãos que uma porção do gelé liberado automaticamente, sem riscos de infecção pelo toque.
E o compartimento com álcool gel que dispensa o toque pra ejetar o produto já ajuda a higienizar e desinfetar os pacientes e visitantes do hospital São Camilo, em Imbituba. Isso porque o grupo, por intermédio do vereador Humberto Carlos dos Santos, realizou a doação do dispenser criado  à unidade de saúde imbitubense na última segunda-feira (26). E nesta quarta-feira, foi a vez do hospital Nossa Senhora da Conceição, em Tubarão, passar a contar com a invenção dos estudantes universitários.
Segundo o imbitubense Eduardo Carvalho, líder do grupo na atividade, a primeira etapa do projeto foi escrever sobre a problemática envolvida e o grupo de estudo, que no nosso caso foi o grupo de risco. Depois, os acadêmicos realizaram um questionário com as populações de Imbituba e Tubarão para se tomar conhecimento do que essas pessoas achavam dos dispensers de álcool em gel que precisam de contato. (Clique aqui e confira o resultado do questionário).
Já a terceira etapa foi a montagem do projeto, mas com o máximo de cuidado possível para os estudantes não acabassem sendo contaminados. A montagem começou com o desenho técnico e desenho do circuito interno realizado pelo próprio Eduardo, que o fez com base em suas experiências adquiridas na faculdade.

“Depois que tivemos o desenho do projeto final, encaminhamos para um dos nossos integrantes, o José Vitor, para ele fazer a montagem do corpo do dispenser. Na sequência, encaminhamos o desenho do circuito para o nosso outro integrante, Ismael Binhoti, para a realização da solda e montagem do circuito. E por último, pedimos para o os outros integrantes fazerem o questionário e os adesivos para nosso invento”, conta Eduardo.

“Basicamente o trabalho em grupo foi essencial para que esse projeto desse certo, como somos amigos, nosso entrosamento estava bem bom e conseguimos fazer tudo sem nenhuma discussão’, finaliza o estudante.

Diretora do São Camilo Luciene Meurer, Eduardo, Humberto e gerente de manutenção Ivan gnatta

Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.