Regras para volta às aulas presenciais em Minas Gerais serão divulgadas nesta quarta, diz governo


Entre as regras, estão a desinfecção dos ambientes e distanciamento mínimo entre os alunos. Volta às aulas pode sobrecarregar sistema de saúde em Minas Gerais.
Reprodução TV Globo
O governo de Minas Gerais informou que vai publicar, nesta quarta-feira (30), o protocolo sanitário para a retomada segura das aulas presenciais nas universidades e escolas nas cidades que fazem parte do programa Minas Consciente. As instituições de ensino superior já estão autorizadas a voltar nesta semana. Já as de educação básica poderão retornar às atividades presenciais a partir do dia 5 de outubro.
Em entrevista coletiva nesta terça-feira (29), o secretário de Estado de Saúde Carlos Eduardo Amaral adiantou algumas das regras, como a permanência de apenas uma pessoa a cada 10 metros quadrados nas instituições de ensino superior que estão em cidades situadas na onda amarela do Minas Consciente.
No caso de escolas que estão em cidades situadas na onda verde, a exigência é de uma pessoa a cada 6 metros quadrados. Se, mesmo com a volta às aulas, a região permanecer nesta onda por 28 dias, o critério diminui para uma pessoa a cada quatro metros quadrados.
“Nós entendemos que este protocolo está muito abrangente. Naturalmente, pode ser revisto a qualquer momento, pode ser questionado. Mas parece ser muito adequado no sentido de orientar o retorno o mais seguro possível”, afirmou o secretário.
O protocolo de medidas sanitárias também vai estabelecer critérios para desinfecção dos espaços, higienização e preparo de alimentos, orientações específicas para trabalhadores, pais, responsáveis e alunos e também para os gestores, que deverão manter diálogo com a rede de saúde. O documento também vai trazer informações sobre procedimentos a serem adotados em casos de surtos no ambiente escolar.
“Toda a comunidade escolar deve estar ciente de benefícios e riscos de estratégia de aprendizagem, virtual, híbrida e presencial”, disse.
Condições para retorno
O anúncio da permissão para volta às aulas ocorreu em 23 de setembro. No caso das instituições de ensino superior, é preciso que as cidades estejam incluídas na onda amarela do programa estadual de flexibilização, o Minas Consciente. Já para as escolas de educação básica, é necessário que a cidade esteja na onda verde do projeto.
Em última instância, caberá aos prefeitos definir se vão ou não retomar as aulas presenciais, ainda que estejam em uma região autorizada pelo governo do estado.
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”