Rússia ameaça restringir acesso a Facebook e Youtube

Um grupo de parlamentares do Rússia Unida, o partido do governo da Rússia, apresentou nessa 5ª feira (19.nov.2020) projeto de lei para restringir o acesso ao Facebook, ao Youtube e ao Twitter. Isso aconteceu porque, há alguns meses, essas empresas começaram a deixar de publicar anúncios e publicidade política de meios estatais.

O texto legal diz que as decisões que as gigantes de tecnologia tomaram restringem o direito da cidadania e fala de “discriminação” contra os materiais dos meios governamentais russos.

O projeto propõe que o regulador de internet russo, Roskomnadzor, sancione ou silencie –total ou parcialmente– essas plataformas se o governo considerar que houve dano aos interesses dos cidadãos russos.

O Twitter, por exemplo, considera desde junho de 2020 as contas dos meios estatais e dos funcionários governamentais como “afiliadas ao Estado”.

O diretor do departamento de tecnologia da Digital Rights Center, Mijaíl Tretyak, disse considerar que a iniciativa (do projeto de lei) é prejudicial aos russos. “Ironicamente, a iniciativa afirma que busca proteger o direito constitucional dos cidadãos russos ao livre acesso à informação. Na verdade, isso vai impedir que eles tenham acesso a essas redes sociais, meios de comunicação e outros recursos de informar, como aplicativos de mensagem”.

Dentro de sua nova campanha para impedir a desinformação e episódios como o ocorrido nas eleições presidenciais norte-americanas de 2016 (segundo as agências de inteligência dos Estados Unidos, a Rússia espalhou notícias falsas nas redes para apoiar Donald Trump), Facebook e Instagram eliminaram centenas de contas vinculadas a meios estatais russos, como a agência de notícias Sputnik.

Em outra das medidas adotadas por empresas de tecnologia, o Youtube deixou de publicar conteúdos de Vladímir Solovyov, o apresentador do principal canal estatal russo, segundo acusações da agência regulatória do país.

A Rússia já bloqueou o acesso ao LinkedIn e a outras redes, numa tentativa de concretizar a criação de uma internet soberana, uma rede doméstica (RuNet) que possa funcionar de maneira independente e que permita às autoridades russas filtrar informações externas e bloquear o conteúdo que considerem indesejável ou perigoso.

Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.