Santander tem lucro gerencial de R$ 3,902 bi no 3º tri, com alta anual de 5,3%

Resultado veio bem acima das projeções de analistas, que apontavam ganho de R$ 2,958 bi O Santander Brasil obteve lucro líquido gerencial de R$ 3,902 bilhões no terceiro trimestre, o que representa alta de 5,3% na comparação com o mesmo período do ano passado e alta de 82,7% ante o trimestre imediatamente anterior. O resultado veio bem acima das projeções dos analistas consultados pelo Valor, que apontavam um ganho de R$ 2,958 bilhões.
O lucro societário do Santander ficou em R$ 3,811 bilhões entre julho e setembro, com elevação de 5,6% ante igual intervalo de 2019.
O terceiro maior banco privado do país em ativos contabilizou margem financeira bruta de R$ 12,432 bilhões no terceiro trimestre, o que representa queda de 8,7% em três meses e avanço de 6,5% na comparação anual. As despesas líquidas com provisões para devedores duvidosos (PDD) ficaram em R$ 2,916 bilhões, com queda de 12,5% ante o trimestre anterior e alta de 3,4% em relação ao terceiro trimestre de 2019.
As receitas de prestação de serviços e tarifas bancárias atingiram R$ 4,746 bilhões, com queda anual de 0,1%. No trimestre, houve alta de 15,7%. As despesas gerais totalizaram R$ 5,375 bilhões, com alta de 2,2% em um ano ano e de 3,6% no trimestre.
O retorno sobre o patrimônio (ROE), um indicador da lucratividade dos bancos, ficou em 21,2% no terceiro trimestre, de 12% no segundo e 21,1% no terceiro trimestre do ano passado.
Margem financeira bruta
O Santander Brasil informou que sua margem financeira bruta foi de R$ 12,432 bilhões no terceiro trimestre, com alta de 6,5% na comparação com o mesmo período do ano passado e queda de 8,7% em relação ao trimestre imediatamente anterior.
A margem com clientes foi de R$ 10,533 bilhões, com queda de 4,5% na comparação trimestral. Dentro dessa linha, a margem com produtos caiu 4,4%, a R$ 10,207 bilhões, enquanto a margem com capital de giro próprio encolheu 7,0%, a R$ 326 milhões. O volume médio ficou em R$ 397,081 bilhões, com alta trimestral de 1,3%, mas o spread caiu 0,7 ponto porcentual, para 10,2%.
Já a margem de operações com o mercado ficou em R$ 1,899 bilhão, com queda trimestral de 26,7%.
“Em três meses, a margem financeira bruta apresentou queda de 8,7%, impactada pela redução tanto da margem com clientes quanto da margem com mercado. […] A margem com clientes reduziu 4,5%, decorrente da menor receita de capital de giro próprio e de margem de produtos, impactadas pelos spreads e efeito mix”, diz o Santander.
David Ramos/Bloomberg
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.