Três vereadores negros eleitos em Curitiba destacam importância da educação na trajetória por uma ‘cidade mais plural’


Carol Dartora e Renato Freitas, do PT, e Herivelto Oliveira, do Cidadania, comentaram sobre representatividade e mandato, com questões de cultura, racismo e políticas publicas. Dia da Consciência Negra: Câmara de Curitiba vai ter 3 negros na bancada de 2021
Os três vereadores negros eleitos para o mandato a partir de 2021 em Curitiba destacaram a importância da educação na trajetória por uma cidade melhor, com mais oportunidades.
Com o resultado das eleições de 2020, a professora Carol Dartora (PT) é a primeira mulher negra eleita na capital paranaense.
Entre os 38 escolhidos para as vagas na Câmara Municipal, também estão o professor da área de direito Renato Freitas (PT), e o jornalista Herivelto Oliveira (Cidadania).
Em entrevista à RPC, no Dia da Consciência Negra, os três comentaram sobre representatividade e sobre os planos para o mandato, com questões relacionadas à cultura negra, racismo e políticas publicas de inclusão.
“É a nossa visão de mundo chegar e se estabelecer. Eu acredito que a gente vai construir uma cidade muito mais plural e muito mais rica, porque a nossa riqueza ainda não foi aproveitada pela nação”, comentou Renato Freitas.
Segundo Carol Dartora, a conquista de ser a primeira mulher negra na Casa não é uma vitória individual, mas um reflexo de condições materiais, de oportunidades, que a trouxeram até este lugar, incluindo o acesso à educação.
“A gente sequer tem o direito de sonhar. Então, eu acredito que eu já venho fazendo isso, quando eu propus que ‘Curitiba pode ter a primeira mulher negra eleita’. Você coloca a perspectiva do sonho, a perspectiva da superação, da esperança, e é isso que eu pretendo pôr para as pessoas. Tem muita coisa que a gente pode fazer”, disse.
Primeira vereadora negra eleita em Curitiba, Carol Dartora quer lutar contra violência racial e baratear passagem de ônibus
Para Herivelto Oliveira, a participação dos três vereadores negros na câmara representa um importante aumento da representatividade, e também maior responsabilidade por parte dos eleitos.
“Nós chegamos aqui, e felizmente que chegamos aqui, pela educação. Três negros que vão estar na câmara a partir do ano que vem, são negros que têm poder de argumentação, são negros que têm diploma, que têm uma história, que, digamos assim, não tem nada de desigualdade no nosso dia a dia do que um vereador branco”, destacou.
Herivelto Oliveira, do Cidadania, Renato Freitas e Carol Dartora, do PT, comentaram sobre representatividade e mandato
Reprodução/RPC
Renato Freitas comentou que o acesso à universidade, por políticas de inclusão, foi importante na trajetória que percorreu e que representa uma busca de direitos de outros negros que também buscam qualificação e melhores condições.
“Eu entrei em uma universidade, em um curso de direito pelas cotas raciais, me graduei. Após essa graduação, entrei no mestrado, daí já em condições de igualdade de oportunidade com as outras pessoas, sem precisar de cotas, e comecei a trilhar meus passos com mais autonomia, sabendo que eu, talvez, ali, naquela história, era um ponto de convergência dos anseios dos meus iguais”, disse.
Dos 38 vereadores eleitos para mandato a partir de 2021 na Câmara Municipal de Curitiba, três são negros
Rodrigo Fonseca/Câmara Municipal de Curitiba
Violência do racismo
A veradora eleita Carol Dartora relatou que busca na Justiça a punição a autores de ataques e injúrias raciais que ela recebeu pela internet durante a campanha eleitoral e até mesmo após o resultado do pleito.
“Injúrias raciais, a violência racistas sempre esteve a postos, eu convivi com ela toda a minha vida. Então, eu não me surpreendo, assim, eu não. Deixo eles lá, depois eu vou tomar as providências que tenho que tomar, mas a violência racista existe, ela está aí, é bem evidente, e esses ataques são a prova disso”, afirmou.
Assista aos vídeos com os destaques desta sexta-feira (20)
Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.