UFMG é a quarta em pedidos de patentes no Brasil


Desafio é a transferência para a demanda do mercado, diz professor. Em 2019 foram 61 pedidos. O ranking é nacional e tem 50 instituições. Número de patentes da UFMG por área desde 1992.
Divulgação/UFMG
Com 61 pedidos de patentes em 2019, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) está em 4º lugar no ranking nacional que classificou 50 instituições.
A lista, que foi divulgada pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), reúne as entidades de ensino superior e empresas de todo o país.
Na primeira posição da lista está a Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Em segundo lugar, aparece a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e, em terceiro, a Universidade Estadual Paulista (Unesp).
Veja a lista completa
O diretor da Coordenadoria de Transferência e Inovação Tecnológica (CTIT), núcleo da UFMG responsável por gerir e proteger as tecnologias criadas na universidade, professor Gilberto Medeiros, disse que os dados divulgados pelo INPI ajudam a entender quem está depositando as patentes e contribuindo para o desenvolvimento do Brasil.
“Vimos empresas estrangeiras fazendo o depósito apenas para lucrar, enquanto empresas brasileiras não ocupam este espaço. Os maiores depositantes no país são as universidades, o que mostra certa precariedade da industrialização. Devemos focar não na quantidade, mas sim na transferência para a demanda do mercado”, disse Medeiros.
A UFMG já depositou 1130 patentes desde o ano de 1992. Desse total, 107 foram transferidas ao mercado. A área com maior depósito é de biotecnologia.
“Um dos principais desafios das universidades é tirar as patentes das prateleiras e fazer com que essas tecnologias gerem bem-estar para a sociedade, já que, embora as universidades pesquisem, é o mercado quem cuida da produção”, disse Medeiros
Número de patentes por ano
Divulgação/UFMG
O que é patente?
De acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a patente é um documento formal, expedido por uma repartição pública, por meio do qual se conferem e se reconhecem direitos de propriedade e uso exclusivo para uma invenção descrita amplamente.
Ainda segundo o Sebrae, a invenção precisa se enquadrar em uma das seguintes naturezas e modalidades:
A invenção deve ser novidade e ter aplicação industrial;
Nova forma ou disposição, envolvendo ato inventivo que resulte em melhoria funcional do objeto.
O que pode ser patenteado:
A invenção que atenda aos requisitos de novidade, atividade inventiva e aplicação industrial;
O modelo de utilidade que seja objeto de uso prático, ou parte deste;
O modelo de utilidade que seja suscetível de aplicação industrial;
O modelo de utilidade que apresente nova forma ou disposição, envolvendo ato inventivo;
O modelo de utilidade que resulte em melhoria funcional no uso ou na fabricação.
Vejas vídeos sobre as novidades da vacina contra a Covid-19:
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”