Uma pessoa é vítima de racismo a cada 12 horas no Rio, diz estudo

Ao menos um caso de racismo foi registrado a cada 12 horas no estado do Rio de Janeiro em 2019. Os dados são do Instituto de Segurança Pública (ISP), órgão ligado às polícias fluminenses. A maioria dos atos foi cometida por mulheres, sendo que 43% das ocorrências por pessoas que não conheciam a vítima. Do total, 422 registros aconteceram na capital, cidade com maior incidência de injuria racial. No entanto, ocorrências também foram registradas em municípios da região serrana e metropolitana do Rio de Janeiro. Dados da pesquisa mostram que palavras ofensivas mais usadas tem relação com cor da pele, formato do nariz e o tipo de cabelo. De acordo com a diretora-presidente do INP, Marcela Ortis, muitas dessas injúrias raciais sequer são percebidas pelas próprias vítimas de racismo.

“Justamente em razão do racismo ser tão complexo e enraizado de uma maneira estrutural, muitas vezes a própria pessoa não percebia que estava sendo vítima desse tipo de crime. Então isso torna os nossos estudos ainda mais complexos”, afirma. Outro levantamento do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro apontou que a maioria doas casos registrados como racismo não chegaram a uma conclusão. Em 2018 e 2019, três mil casos foram denunciados ao Instituto de Segurança Pública, sendo que apenas dois deles chegaram à Justiça. No entanto, um deles foi foi extinto por falta de dados no processo e o outro considerado improcedente.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga

Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.