Veja como está a procura por atendimento em saúde em Florianópolis

A reportagem do ND+ foi para as ruas, na tarde desta segunda-feira (26), para acompanhar de perto como está a condição de atendimento e lotação das unidades públicas de saúde. Os hospitais da Grande Florianópolis vem sofrendo com a lotação em suas unidades desde a última quinta-feira (22) – Foto: Catarina Duarte/ND

O Hospital Governador Celso Ramos, no Centro da Capital, apresentou lotação e diversos pacientes esperando por horas para serem atendidos nesta segunda-feira (26) – Foto: Catarina Duarte/ND

Rui Newton Anschai, de 48 anos, e a esposa Helena Fridrizh, 70, aguardavam o atendimento na unidade. Eles estavam há mais de 1h30 na rua enquanto esperavam para realizar o teste da Covid-19 – Foto: Catarina Duarte/ND

Luzia Joaquim Manoel da Silveira, 45 anos, aguardava o atendimento da filha Vitória. A menina de 16 anos é do grupo risco para a Covid-19. As duas esperavam o atendimento na emergência do hospital desde às 13h desta segunda-feira (26). Vitória precisa trocar uma válvula de um procedimento cirúrgico – Foto: Catarina Duarte/ND

O Centro de Saúde da Prainha apresentava movimento normal na tarde desta segunda-feira (26). Porém, funcionários da unidade de saúde afirmaram que houve aumento na procura por atendimento no local nos últimos dias. Além disso, comentaram que é comum receber até 20 pacientes com suspeita da Covid-19 – Foto: Catarina Duarte/ND

Já a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Norte, no bairro Vargem Grande, apresentou um movimento intenso ao longo do dia – Foto: Catarina Duarte/ND

Alguns pacientes relataram que estavam esperando desde às 9h desta segunda-feira (26) para serem atendidos – Foto: Catarina Duarte/ND

Um aviso na parede da unidade orientava que a pessoa já notificada “aguarde que a vigilância epidemiológica ou sua unidade de saúde entrará em contato” – Foto: Catarina Duarte/ND

Já o HU/UFSC (Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina) também contava com alguns pacientes aguardando atendimento, mas não estava lotado. Entre eles, alguns sentados em cadeiras de praia, mas com o distanciamento social sendo cumprido. Em seguida, os pacientes eram levados para o segundo andar da unidade para o preenchimento de uma ficha cadastral  – Foto: Catarina Duarte/ND

O HU conta com uma tenda para o atendimento de pessoas com suspeita da Covid-19. A estrutura está instalada no estacionamento do Hospital Universitário – Foto: Catarina Duarte/ND

O Imperial Hospital de Caridade, no Centro de Florianópolis, apresentava um movimento bem tranquilo durante a parte da tarde desta segunda-feira (26). Conforme a atualização da SES (Secretaria de Estado da Saúde), as unidades de saúde da Grande Florianópolis estão com 66,41% da taxa de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) – Foto: Catarina Duarte/ND

Tags , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.