Veja entrevistas com os candidatos à Prefeitura de Natal neste sábado (17)


Candidatos são os que pontuaram menos na pesquisa Ibope e não têm agenda acompanhada durante a semana. urna eletrônica
Reprodução/TV Globo
No dia 7 de outubro, o G1 começou a publicar os compromissos de campanha dos candidatos à Prefeitura de Natal. A regra estabelecida foi que os seis primeiros colocados na pesquisa Ibope teriam esse espaço. Como houve empate e não foi estabelecido critério de desempate anteriormente, esse número aumentou para oito.
Os demais candidatos, seis no total, que pontuaram menos, têm espaço para entrevistas de dois minutos, nos fins de semana. Nesta sexta-feira (16), porém, Fernando Pinto, do partido Novo, anunciou a desistência de sua candidatura. Portanto, o G1 publica as entrevistas com os cinco candidatos. Ela estão em ordem alfabética:
Afrânio Miranda – Podemos
Que melhorias devem ser feitas na orla de Natal para atrair mais turistas?
Hoje, em Natal, o turismo é uma das maiores atividades que nós temos, inclusive na arrecadações de ICMS do ano. Dos R$ 360 milhões da parte de serviços, R$ 150 milhões é de serviços. E hoje o turismo emprega 52 mil pessoas nas 52 atividades que tem. Nós temos 30 mil leitos só aqui em Natal. E a gente pretende mexer principalmente nos pontos principais do turismo, que é primeiramente a orla de Ponta Negra. Nós precisamos dar uma mexida ali – existem até projetos, mas que foram só promessas, não foram executados. Como também passando pela orla de maneira geral, até a Redinha, e na Redinha a gente precisa dar um tratamento especial para aquela parte, incluindo o mercado, que dizem que vai ter alteração lá e nunca é feita. Então a gente pretende fazer na Redinha, principalmente para dar uma força maior na Zona Norte, uma melhorada na orla e no mercado.
O senhor pretende fazer a licitação do transporte público de natal ainda no primeiro ano de governo?Com certeza. Essa é uma prioridade número 1 da gente. As pessoas precisam andar num transporte, não da forma como é hoje, que parece uma lata de sardinha, com um bocado de gente dentro. A gente tem que ter um transporte adequado, de qualidade, com a passagem que seja justa. E ai para você ter uma passagem justa você tem que ter um transporte de qualidade. Os ônibus com GPS, para você saber a localização do ônibus que você vai pegar sem precisar estar na parada, você saber que na hora tal você indo para a parada tal, você pode pegar. Então, assim, usar a tecnologia para prometer uma qualidade melhor e realmente fazer uma licitação e prestar um serviço que o cidadão natalense merece. E claro que isso passa por uma conversa com a Câmara Municipal, ver as condições do ônibus que se quer utilizar para depois não se pensar em algo fora do normal e ai causar um problema grande na passagem. E eu pretendo dar benefícios da prefeitura para que essa passagem seja reduzida.
Coronel Hélio – PRTB
Candidato, que melhorias devem ser feitas na orla de Natal para atrair mais turistas?
Na verdade, as orlas de Natal, das praias urbanas, precisa de melhoramentos urbanísticos. Na verdade, nós temos praias que não oferecem espaço para que as pessoas possam ir com suas famílias, possam ir passear nas orlas. E eu entendo que a Via Costeira, que faz parte desse complexo, que é do estado aquela rodovia, naquela área de hotéis, nós teremos que investir naquela área para criar uma área de convivência com equipamentos turísticos, para que o turista possa conviver com o natalense. No mundo inteiro existem áreas de convivência do pessoal que mora na terra junto com os turistas.
O senhor pretende fazer a licitação do transporte público de natal ainda no primeiro ano de governo?
Já existe uma equipe técnica preparada para estudar o transporte urbano e, dentro dessa equipe, nós estamos estudando principalmente a melhor solução para aqueles que utilizam o transporte urbano. Entendemos que a necessidade de mobilidade de Natal é muito carente, precisa ser melhorada muito a mobilidade, e os transportes urbanos são inadequados para atender a demanda da população. Nós temos aqui em Natal chassis de caminhões onde ônibus andam em cima. Então iremos sim fazer uma licitação e propor equipamentos adequados para que o cidadão que acorda às 4 da manhã possa se deslocar com segurança e conforto para o seu trabalho.
Jaidy Oliver – Cidadania
Que melhorias devem ser feitas na orlas de Natal para atrair o turista?
Primeiro a segurança deve ter um aprimoramento, porque atrai turista quando você se sente seguro, se sente bem. Segundo, não fazer a verticalização, melhorar toda a orla com urbanismo, trazer atrações naturais e artísticas para a orla. Com isso, a nossa orla fica atraente aos olhos do turista. E na parte de mobilidade, dar uma arrumada em toda a orla, no sentido de calçamento, barraquinhas organizadas. Então o turista vai achar Natal linda, porque a praia em si é belíssima. Existe esgotos, existe pedras e tudo isso precisa ficar maravilhosamente lindo a exemplo de João Pessoa, que é uma orla linda. Trazer os guardas municipais para ficar passando para lá e para cá, porque dá um tom de segurança. E por ai. E diminuir o máximo possível os prédios altos, conforme querem fazer no plano diretor
A senhora pretende fazer a licitação do transporte público ainda no primeiro ano de governo?
No primeiro ano, corajosamente, apesar de todos os contrários, mas é necessário. Porque os nossos empresários tem um certo domínio. Então a gente tem que conversar com o Seturn, tirar o direcionamento da mão Seturn, fazer uma criação de novas linhas com engenheiros, com uma equipe técnica de excelência. É preciso fazer um levante também na periferia toda de Natal, para melhoria das linhas, melhoria do corredor próprio, (avenida) Prudente de Morais. Já tem um foco mais ou menos feito no nosso plano, como vamos fazer essa mobilização
Nevinha Valentim – PSOL
Que melhorias devem ser feitas na orlas de Natal para atrair o turista?
Na verdade, a coletiva do Sol, como o nome já diz, nós somos uma coletiva, primeiro nós precisamos conversar com as pessoas, montar um comitê ou fórum com os trabalhadores da praia, com os comerciantes, hoteleiros, os moradores, enfim, todas as pessoas que vivem essa realidade, o dia-a-dia da praia, e também com os especialistas, os professores da universidade que estudam essa questão da dinâmica costeira e a estrutura da nossa orla. É preciso ter esse tempo e fazer esse tipo de escuta para não fazer obras açodadas como foi o calçadão de Ponta Negra, que nós vimos aqui que não serviu. É uma obra que hoje trouxe muitos mais problemas, problemas de difícil resolução. É preciso escutar as pessoas que trabalham e vivem essa questão da orla, para poder pensar as melhorias e fazer um serviço com qualidade, coisa que tenha realmente efetividade e ganho para todas as pessoas. Tanto para o turista quanto para as pessoas que trabalham e que moram na praia
A senhora pretende fazer a licitação do transporte público ainda no primeiro ano de governo?
Sim. Essa é uma questão urgente, que a pandemia colocou a nu, a fragilidade do nosso sistema de transporte, o equívoco desse modelo baseado no lucro. E nós temos uma legislação que foi construída com muito trabalho e que permite à prefeitura tornar permissionários, contratar os serviços muita gente. Não precisa necessariamente, ser as empresas de ônibus, tem vans.
Rosália Fernandes – PSTU
Que melhorias devem ser feitas na orlas de Natal para atrair o turista?
É preciso revitalizar não apenas as orlas, mas todos os pontos turísticos da cidade, que são esquecidos. Afinal, turismo não é apenas praia. Natal é uma cidade histórica, tem um patrimônio artístico e cultural riquíssimo, mas que não é valorizado. Então nós pensamos em criar um plano de obras públicas incorporando os desempregados e, com isso, revitalizar todas as orlas das praias, que realmente estão abandonadas, mas também toda essa parte histórica, como uma forma de incentivar a cultura e o turismo na cidade, que estão abandonados.
A senhora pretende fazer a licitação do transporte público ainda no primeiro ano de governo?
Não. Nós não vamos fazer, porque acontece o seguinte: é uma grande mamata. O Seturn, as empresas de ônibus de Natal mandam na cidade há muitos anos. É um escândalo. Então nós vamos romper com o Seturn. O transporte tem que ser um direito, assim como a saúde, a educação e a segurança. E para isso nós vamos romper com o Seturn, nós vamos estatizar o transporte, porque o transporte não tem que ser uma fonte de lucro para os empresários. Nós pretendemos criar uma empresa municipal de transporte, ampliando a frota e incorporando trens e VLTs, porque com isso nós vamos ter transportes mais baratos, mais seguros, rumo ao passe livre.
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”