Velha política não convenceu o novo eleitor

Angela Amin (PP) relembrou sua pesquisa na área pública e se disse apta a fazer “uma administração que venha valorizar o cidadão no verdadeiro processo de inclusão” – Foto: Reprodução/YouTube

Antigos cabos eleitorais da Ilha e do Estreito, aqueles dos tempos das intendências, cantaram a pedra muito antes das eleições de que não daria certo o casamento da família Amin com seu arquirrival Dário Berger. É gente que conhece muito bem a história política de Floripa. E que já esteve sob o comando dos Amin, desde os anos 70, quando Esperidião herdou os ativos políticos de antigas lideranças. Na virada do século, Dário Berger, vindo de São José, passou a ocupar cada vez mais os espaços dos Amin. Seu então aliada Gean Loureiro, assumiu a prefeitura e tomou conta principalmente do MDB, do qual se desligou, mas não deixou de comandar.
Nas eleições, nem o PP dos Amin quis trabalhar com o ex-rival Dário Berger e nem o MDB quis fazer força a favor de Ângela Amin. Pelo contrário: por trás das bombas, como diziam os antigos cabos eleitorais, os emedebistas foram mesmo de Gean.

Tags , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.