Google é alvo de novo processo nos EUA por conduta anticompetitiva; agora, está na mira de 10 estados


Em anúncio feito nas redes sociais, procurador-geral do Texas que lidera ação disse que empresa ‘manipulou o mercado de publicidade’. Google
Arnd Wiegmann/Reuterus
O procurador-geral do Texas, Ken Paxton, anunciou nesta quarta-feira (16) que irá abrir um processo em conjunto com outros 9 estados americanos contra o Google por condutas anticompetitivas.
Em um vídeo publicado nas redes sociais, Paxton disse que a empresa “usou o seu poder de monopólio para controlar preços” no mercado de publicidade digital.
“O Google efetivamente eliminou sua competição e coroou a si mesmo como líder da publicidade on-line”, afirmou o procurador-geral.
Liderado pelo Texas, o processo foi assinado também pelos estados de Arkansas, Idaho, Indiana, Kentucky, Mississippi, Missouri, Dakota do Norte, Dakota do Sul e Utah, segundo a agência de notícias Reuters.
O Google não se posicionou sobre o caso até o momento.
O mercado de publicidade digital é a principal fonte de receitas da empresa – somente esse negócio gerou US$ 37,1 bilhões para a companhia no 3º trimestre de 2020.
RETROSPECTIVA: 2020, um ano vivido pelas telas
O caso será atribuído a juiz da corte do Texas, que começará a definir um cronograma.
O Departamento de Justiça dos EUA também processou o Google, em ação que começou em outubro passado – o Texas está entre os 11 estados que se juntaram à iniciativa. O órgão alegou que a companhia abusou de seu poder para privilegiar seu sistema de busca e que detém o monopólio no mercado de anúncios nessas páginas.
Na semana passada, outra gigante da tecnologia foi acusada de monopólio: a Comissão Federal de Comércio (FTC, na sigla em inglês) e 48 autoridades estaduais anunciaram processos contra o Facebook.
Esta reportagem está em atualização.

1xVelocidade de reprodução0.5xNormal1.2×1.5x2x

Veja os vídeos mais assistidos do G1
m

Adicionar aos favoritos o Link permanente.