Governo está sendo obrigado a cumprir seu papel, desabafam líderes aliados sobre vacinação

Na polêmica do Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19, o governo Jair Bolsonaro está sendo obrigado pelo Judiciário a fazer o que já é função do Executivo. O desabafo foi feito ao blog por líderes aliados e que afirmam não ser fácil defender um governo que luta contra a realidade.
“O governo não precisava ser obrigado a fazer o que não passa de uma obrigação dele. Se tomasse a liderança do processo, estaria não só cumprindo seu papel como teria um reconhecimento da população”, afirmou ao blog um interlocutor do presidente Bolsonaro.
Outro aliado do presidente disse que o governo só está agindo agora por causa da pressão e da cobrança do Judiciário. Por isso, esse aliado defende que o governo edite ainda nesta segunda-feira (14) a medida provisória liberando R$ 20 bilhões para compra de vacinas e montagem do plano de logística de vacinação.
“Veja o que está acontecendo nos Estados Unidos. Donald Trump também tinha uma posição parecida com a de Bolsonaro, mas ele [Trump] foi pragmático, acertou a compra de vacinas antes mesmo de elas estarem aprovadas e, agora, a vacinação começou lá. Bolsonaro deveria ter seguido o mesmo caminho daquele que é sempre citado por ele como exemplo”, avaliou o aliado presidencial.
Os aliados do presidente preferem falar reservadamente para evitar entrar em atrito com ele. Segundo esses interlocutores, Bolsonaro tem dificuldade em ouvir críticas e sempre é reativo.
“De vez em quando ele até recua, o que é uma virtude, mas demora. É preciso um longo trabalho de convencimento”, comentou um aliado.
Os aliados de Bolsonaro defendem que o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, saia da defensiva e assuma o comando direto para implementação do Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19. O ideal, segundo eles, era o próprio presidente assumir o comando, porém, avaliam que isso não vai acontecer.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.